Retalhos Bem-vindo! Retalhos Willkommen! Retalhos Bienvenido! Retalhos Bienvenue! Retalhos Benvenuti! Retalhos Welcome! Retalhos 歡迎! Retalhos Καλως ηλθατε! Retalhos Добро пожаловать! Retalhos!مرحبا Retalhos

Senhor, fazei de mim instrumento da Vossa Paz.

VÍDEOS: Para visualizar e ouvir os vídeos deverá dasativar a música de fundo no painel aqui do lado esquerdo

18 janeiro 2017

Acalma meus passos























Tenho sede de Ti, Cristo, tenho sede da fonte da água viva, dos passos que são os Teus no meu pobre caminho…

Quem dera ser como as árvores que aprendem a caminhar para o alto, quase que num gesto de louvor e gratidão ao autor de todo o Universo.
A noite cai e, urge mesmo parar…
Olhar para dentro do coração e da vida… fazer exame de consciência e retomar o caminho.
Lembrei de uma apresentação em power point que recebi em tempos…
Fui ver: imagem, som e mensagem… Fiz oração…
Não querendo adulterar o pensamento do autor da obra linda que rezei: “Acalma meu passo, Senhor”, decidi rezá-la no nosso português e, como oração de caminho quaresmal, aqui a deixar…
Tenho sede de ti, Senhor, preciso que continues a caminhar comigo…
Aqui deixo a todos o texto lindo que rezei da qual não se conhece o autor:

"Acalma os meus passos, Senhor,
desacelera as batidas do meu coração,
acalmando a minha mente.
Diminui o meu ritmo apressado com uma nova visão da eternidade e do tempo.
No meio das confusões do dia a dia,
dá-me a tranquilidade das montanhas.
Retira a tensão dos meus músculos e nervos
com a música tranquilizante dos rios e das águas constantes
que vivem nas minhas lembranças.
Ajuda-me a conhecer o poder mágico
e reparador do sono.
Ensina-me a arte de tirar pequenas férias:
reduzir o meu ritmo para contemplar uma flor,
conversar com os amigos, afagar uma criança,
ler um poema, ouvir uma música.
Acalma os meus passos, Senhor,
para que eu possa perceber
no meio do incessante labor quotidiano dos ruídos,
lutas, alegrias, cansaços ou desalentos,
a Tua presença constante no meu coração.
Acalma os meus passos, Senhor,
para que eu possa entoar o cântico da esperança,
sorrir para o meu próximo
e calar-me para ouvir a Tua voz.
Acalma os meus passos, Senhor,
e inspira-me a enterrar as minhas raízes
no solo dos valores duradouros da vida,
para que eu possa crescer até às estrelas do meu destino maior: TU!
Obrigado Senhor, pelo dia de hoje,
pela família que me deste,
os meus trabalhos
e sobretudo pela Tua presença na minha vida."


(Autor desconhecido – adaptado para a língua Portuguesa por A. R.)

17 janeiro 2017

Parabéns Pai. 86 anos

Pai Manuel Rodrigues
86 ANOS, 
agora a
CELEBRAR
NA GLÓRIA
DO CÉU.

Se na Fé Cristã os que nos precederam e partem na paz, participam agora plenamente da Glória que lhes estava reservada pela bondade infinita de Deus.
Então... neste dia não quero chorar a não ser de saudade, da saudade do seu olhar, do seu canto, das suas gracinhas que nos faziam rir, mas sobretudo da saudade de um abraço e um beijinho, e daquele dia que me disse que punha a sua confiança total em mim.

Não quero chorar mas simplesmente cantar ao Deus Altíssimo, Omnipotente e Bom Senhor, porque não podia ter-me concedido outro pai melhor que o meu pai Manuel.

Pai, tenho saudades suas... mas sei que junto de Deus continua a olhar para nós... eu sinto isso a cada momento.

Beijinho e... muita Festa aí no Céu!

16 janeiro 2017

Vocação Franciscana: DAR A VIDA


Dia 16 de janeiro
Santos Mártires de Marrocos

P  Leitura (Ex 15)

Bem-aventurados os pacíficos, porque eles serão chamados filhos de Deus (Mt 5, 9). Pacíficos, de verdade, são aqueles que, seja o que for que neste mundo tenham de sofrer, sempre por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo conservam em paz a alma e o corpo.

P  Prece

Felizes os construtores da paz, os construtores da fraternidade; os que trabalham incansavelmente a fim de que todos se sintam e se respeitem como irmãos; os que vivem plenamente reconciliados consigo mesmo, com os outros e com Deus; os que põem a sua confiança não na guerra, mas no diálogo, no respeito da justiça e no perdão incondicional; os que se reconhecem e reconhecem os outros como filhos do único e mesmo Pai; os que, seja o que for que neste mundo tenham de sofrer, sempre por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo, conservam em paz a alma e o corpo. ajuda-nos a sermos fiéis construtores da Paz e do Bem.

P  Oração

Deus omnipotente, eterno, justo e misericordioso, concede-nos a nós, miseráveis, que por ti façamos o que sabemos que tu queres, e sempre queiramos o que te apraz, para que, interiormente purificados, interiormente alumiados e abrasados pelo fogo do Espírito Santo, possamos seguir os passos de teu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, e mediante somente a tua graça, chegar até ti, ó Altíssimo, que, em Trindade perfeita e em simples Unidade, vives e reinas e tens toda a glória, ó Deus omnipotente, por todos os séculos dos séculos.

15 janeiro 2017

Vocação Franciscana: SOLIDARIEDADE


Dia 15 de janeiro

P  Leitura (EP XXXV, 1-4)

Noutra ocasião, um pobre veio ao eremitério onde estava S. Francisco e pediu aos frades uma peça de pano, por amor de Deus. Ouvindo o pedido, S. Francisco disse a um irmão: «Procura pela casa e, se encontrares uma peça ou um bocado de pano, dá-o a este pobre». Depois de percorrer toda a casa, o irmão disse nada ter encontrado. Para que este pobre não se fosse embora de mãos vazias, S. Francisco retirou-se às ocultas, para que o guardião não lho proibisse. Tomou uma faca e, sentando-se num lugar escondido, começou a retirar do hábito uma parte que estava cosida interiormente, tencionando dá-la ao pobre sem ser notado. Mas o guardião, adivinhando a sua intenção, imediatamente foi ter com ele e proibiu-o de a dar, principalmente porque então fazia frio intenso e ele, Francisco, era doente e friorento. Disse-lhe S. Francisco: «Se não queres que eu lhe dê este pedaço, é absolutamente necessário que mandes dar outro qualquer ao nosso irmão pobre».

P  Prece

Pai Santo, Senhor do céu e da terra, Tu, que a S. Francisco deste um hábito em forma de cruz, ensina-nos e impele-nos à doação sincera e à entrega decidida aos nossos irmãos fora e no seio da fraternidade.

P  Oração

Senhor Jesus Cristo, bom Pastor, que a nós, pecadores, mostraste a Tua misericórdia, e nos tornastes dignos da Tua presença, chama-nos e atrai-nos constantemente a Ti, dá-nos o dom de perseverar no Teu seguimento, e humildade para Te servirmos com fé e alegria. Concede-nos a Tua graça e virtude, para que nenhuma enfermidade, contrariedade ou constrangimento desta vida nos aparte de Ti, nosso único Salvador, que vives pelos séculos dos séculos. Ámen.

Vocação Franciscana. PERDÃO


Dia 14 de janeiro


P  Leitura (1Cel 109, 7-9)

Um dos frades presentes, a quem o Santo amava com singular afeição e era muito solícito para com todos os irmãos, vendo isto, e sabendo estar próximo o desenlace, disse-lhe: «Pai bondoso, que vai ser de teus filhos sem ti, que és a luz dos seus olhos? Lembra-te que os deixas órfãos, perdoa-lhes todas as culpas e dá-lhes a todos, presentes e ausentes, o conforto da tua santa bênção». E o Santo, de volta: «Meu filho, Deus chama-me. A todos os meus irmãos, presentes e ausentes, eu lhes perdoo e os absolvo tanto quanto me é permitido. Isto mesmo lhes dirás e os abençoarás da minha parte».

P  Prece

Francisco de Assis, que apenas desejaste em toda a tua vida viver o santo Evangelho e seguir os passos de Nosso Senhor Jesus Cristo, filho da Virgem pobre Maria, te pedimos: intercede por nós, a afim de que a nossa forma de vida seja sempre sinal de bênção para o mundo em que vivemos.

P  Oração

Peço-Te, Senhor Jesus Cristo, Pai de misericórdia, que não olhes à nossa ingratidão, mas Te lembres do amor infinito que dispensaste a esta Ordem. Seja ela para sempre morada e habitação de gente que Te conheça, e glorifique o Teu nome bendito e glorioso, pelos séculos dos séculos. Ámen. (LP 99)

13 janeiro 2017

Vocação Franciscana: DÓCEIS DE CORAÇÃO


Dia 13 de janeiro


P  Leitura (Exortação 1, 12-18)

Portanto, o que tem o espírito do Senhor que habita nos seus fiéis, esse, sim, recebe o santíssimo Corpo e Sangue do Senhor. Os demais, que não partilham desse espírito e todavia presumem comungar, esses comem e bebem a sua condenação. Por isso, ó filhos dos homens, até quando haveis de ser de coração duro? Porque não reconheceis a verdade, e acreditais no Filho de Deus? (Jo 9, 35). Eis que ele se humilha cada dia, como quando baixou do seu trono real (Sb 18, 15), a tomar carne no seio da Virgem; cada dia vem até nós em aparências de humildade; cada dia desce do seio do Pai, sobre o altar, para as mãos do sacerdote.

P  Prece

Jesus Cristo, Filho do Deus vivo, que nada nos impeça nem se ponha de permeio na busca da vivência do nosso carisma. Ajuda-nos a alimentar a nossa vida fraterna à volta da mesa do Pão da Tua palavra e do Teu Corpo e Sangue Santíssimo.

P  Oração

Omnipotente, santíssimo e sumo Deus. Pai santo e justo. Senhor do céu e da terra, nós te bendizemos e te rendemos graças, porque, na Tua bondade, nos chamastes a seguir os passos do teu amado filho, nosso Senhor Jesus Cristo, na forma de vida que inspiraste os teus servos Francisco e Clara de Assis, e por nos teres sustentado no Teu amor no decorrer destes anos da nossa consagração batismal e profissão religiosa. Por Cristo Senhor nosso. Ámen.

12 janeiro 2017

Vocação Franciscana: ORAÇÃO

Dia 12 de janeiro


P  Leitura (2 Celano 213, 3-6)
E rezando fervorosamente, empenhado nesta luta, obteve do Senhor a promessa da vida eterna:
«Se toda a terra e o Universo inteiro fossem de ouro puríssimo e soubesses que toda essa imensa riqueza, com ser tão grande, valia menos que nada, comparada com a riqueza que receberias em recompensa dos sofrimentos padecidos, não é que te sentirias feliz em sofrê-los animosamente por mais algum tempo? – Seria feliz – afirmou o Santo – seria felicíssimo? – Rejubila então – concluiu o Senhor –, porque a tua enfermidade é penhor do meu reino. Graças aos méritos da tua paciência, poderás estar certo e seguro dessa herança».

P  Prece
Amor que não és amado, que misericordiosamente nos chamas à vida franciscana, na menoridade e pobreza evangélicas, ajuda, Te pedimos, nos sofrimentos e angústias, dos nossos irmãos enfermos e recompensa os nosso irmãos defuntos com a coroa da vida eterna.

P  Oração

Omnipotente, santíssimo e soberano Deus, sumo bem, todo o bem, bem completo, a ti que só és bom, rendamos todo o louvor, toda a glória, toda a graça, toda a honra, toda a bênção, e todo o bem a ti atribuamos para sempre, pelos séculos dos séculos. Ámen.

11 janeiro 2017

Vocação Franciscana: DIZER PAI NOSSO

Dia 11 de janeiro

P  Leitura (1R 22, 28-31)

E quando fordes a orar, dizei: Pai nosso, que estais nos céus. E adoremo-lo com o coração puro, pois importa orar sempre, sem desfalecer; porquanto são esses os adoradores que o Pai deseja. Deus é espírito, e os que o adoram, devem adorá-lo em espírito e verdade.

P  Prece
Altíssimo e soberano Deus, concede-nos, por intercessão de S. Francisco, procurar sempre e em todas as coisas o «espírito de santa oração e devoção».

P  Oração

Deus omnipotente, eterno, justo e misericordioso, concede-nos a nós, miseráveis, que por ti façamos o que sabemos que tu queres, e sempre queiramos o que te apraz, para que, interiormente purificados, interiormente alumiados e abrasados pelo fogo do Espírito Santo, possamos seguir os passos de teu Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, e mediante somente a tua graça, chegar até ti, ó Altíssimo, que, em Trindade perfeita e em simples Unidade, vives e reinas e tens toda a glória, ó Deus omnipotente, por todos os séculos dos séculos. Ámen.

10 janeiro 2017

Vocação Franciscana: ALEGRIA


DIA 10 de janeiro
 
P  Leitura da Primeira Regra (1R 17, 5-6)

Pelo que, na caridade que é Deus, eu suplico a todos os meus irmãos que pregam, rezam, trabalham, quer clérigos quer leigos, que cuidem de se humilhar em todas as coisas, não se desvanecendo das boas palavras e obras, e nem mesmo de qualquer outro bem que Deus diz ou faz ou alguma vez tenha operado neles ou por meio deles, segundo o que diz o Senhor: Mas nem disso vos deveis alegrar, de que os espíritos maus vos estejam sujeitos.

P  Prece

Santíssimo Pai nosso, Nosso criador, nosso redentor, por Ti próprio rendemos graças: ajuda a nossa fraternidade a dar apenas glória ao Teu Santo Nome.

P  Oração

Espírito Santo, eterna juventude da Igreja: ele faça com que todos sintam a urgência de oferecer um testemunho coerente e corajoso do Evangelho, a fim de que nunca faltem santos, que façam resplandecer a Igreja como esposa sempre pura e bela, sem manchas nem rugas, capaz de atrair irresistivelmente o mundo para Cristo, para a sua salvação. Por Cristo Senhor Nosso. Amén

09 janeiro 2017

Vocação Franciscana: SER SERVO

DIA 9 DE JANEIRO

P  Leitura (Exortação de S. Francisco de Assis 19)

Bem-aventurado o servo que não se tem por melhor quando os outros o louvam e honram, do que quando o tratam por pessoa de nada, simples e desprezível, pois, quanto vale o homem aos olhos de Deus, isso vale e não mais. Ai do religioso que, uma vez posto pelos outros em dignidade nas alturas, depois por sua vontade não quer descer. Mas bem-aventurado aquele servo que sem querer foi posto em alto, e sempre deseja meter-se debaixo dos pés dos outros.

P  Prece
Pai celestial, que sondais os corações e nada está escondido para Vós, na Vossa misericórdia e bondade, e através da intercessão de S. Francisco, ajudai e socorrei as nossas fraternidades a escolherem sempre a Vossa santa vontade.

P  Oração

Ó glorioso Deus altíssimo, ilumina as trevas do meu coração, concede-me uma fé verdadeira, uma esperança firme e um amor perfeito. Mostra-me, Senhor, o recto sentido e conhecimento, a fim de que possa cumprir o sagrado encargo que na verdade acabas de dar-me. Ámen. (OCD)

REZAR A VOCAÇÃO FRANCISCANA

SEMANA DE ORAÇÃO PELA VOCAÇÃO FRANCISCANA


No próximo dia 16 celebramos o dia da Província Portuguesa da Ordem Franciscana, sendo também o 

DIA DA VOCAÇÃO FRANCISCANA.

A nossa Vocação é a de sermos menores, por isso S. Francisco chama aos seus irmãos os Irmãos Menores. Desta forma o franciscano sente-se irmanado a toda a criação a quem chama de irmã e tem o dever de em cada dia e em cada momento elevar um terno louvor ao Criador pela obra das Suas mãos.

Assim e ao longo desta semana teremos uma oração diária para rezar a nossa vocação, para a repensar e refletir, para a celebrar e testemunhar, para a agradecer com um coração sincero e fiel ao Senhor que se dignou chamar-nos a sermos Menores como Francisco de Assis.
O tema desta semana de oração pela Vocação Franciscana é:
“ALTÍSSIMO, POR TI MESMO TE RENDEMOS GRAÇAS!”

Em cada dia disponibilizarei aqui a pequena reflexão e oração.

Aqui fica também a oração geral para rezar ao fim do dia.


ORAÇÃO
(Rezar todos os dias no final)

Omnipotente, santíssimo, altíssimo e soberano Deus,
Pai santo e justo, Senhor rei do céu e da terra,
por ti mesmo te rendemos graças,
porque por tua santa vontade e pelo teu único Filho
com o Espírito Santo, criaste todas as coisas. (1R 23, 1)
Com todo o nosso coração,
com toda a nossa alma,
com todo o nosso espírito,
com toda a coragem e fortaleza,
com toda a inteligência
e com todas as forças,
com toda a boa vontade e afeto,
com todas as entranhas,
com as ânsias todas da alma,
amemos todos ao Senhor Deus,
que a cada um de nós deu e dá o corpo, a alma e a vida;
que nos criou e remiu e só por sua misericórdia nos salvará (1R 23, 8)
Que nada nos impeça, nada nos separe, nada se ponha de permeio.
E que todos nós, por toda a parte,
em todo o lugar, e a toda a hora e sempre,
creiamos com fé verdadeira e humilde,
e guardemos no coração, e amemos, honremos, adoremos,
sirvamos, louvemos e glorifiquemos e sobrexaltemos,
 magnifiquemos e demos graças ao altíssimo e soberano Deus
eterno, Trindade e Unidade, Pai e Filho e Espírito Santo. Ámen

07 janeiro 2017

Epifania: Viemos adorá-l'O

Hoje o Salmo 71 leva-nos à aclamação: “Virão adorar-Vos, Senhor, todos os povos da terra.” E mais adiante referindo-se ao Messias canta que “Os reis de Társis e das ilhas virão com presentes, os reis da Arábia e de Sabá trarão suas ofertas. Prostrar-se-ão diante dele todos os reis, todos os povos o hão-de servir.”Este Salmo torna-se o mote para a nossa reflexão deste dia, o dia da Epifania, da manifestação de Deus em Jesus Cristo.É d’Ele que fala o salmo. A adoração e a prostração dos grandes do mundo, só poderia acontecer diante do grande mistério da manifestação de Deus ao Seu povo, o novo Israel, a nova Jerusalém.Isaías (Is 60, 1-6) sonha com esta grande realidade e mais ainda aponta-a para um futuro próximo: “Levanta-te e resplandece, Jerusalém, porque chegou a tua luz e brilha sobre ti a glória do Senhor”Não é apenas um sonho mas a revelação do próprio Deus que vem, Ele é a Luz que vem para iluminar e guiar nos caminhos da paz e da justiça. “sobre ti levanta-Se o Senhor, e a sua glória te ilumina” (…)Virão todos os de Sabá, trazendo ouro e incenso e proclamando as glórias do Senhor”.Como é bom imaginar o profeta a fazer esta preconização na enorme praça da cidade Santa. Como crer que a Luz de Deus vem iluminar quem se sente tão longe d’Ele? Como crer que os outros povos poderosos olharão para uma nova Jerusalém invadindo-a não para a derrotar mas para a encher de bens e de presentes, ouro, sinal da realeza e incenso sinal da divindade.
Deus iluminará o Seu Povo, reformará o seu coração, a sua história e atrairá a ele todos os outros povos.Esta é a promessa que hoje nos narra Mateus 2, 1-12: “Tinha Jesus nascido em Belém da Judeia, nos dias do rei Herodes, quando chegaram a Jerusalém uns Magos vindos do Oriente. «Onde está – perguntaram eles – o rei dos judeus que acaba de nascer? Nós vimos a sua estrela no Oriente e viemos adorá-l’O».Uns magos, ou reis como também se lhes chama noutros textos, conhecem a Escritura Sagrada, conhecem os sinais dos tempos e deixam-se guiar por uma Luz, uma estrela, diferente de todas as outras. E eis que chegam ao lugar onde está Maria e o Menino. É curioso que o Evangelho não refere mais ninguém, nem mesmo José. “Puseram-se a caminho. E eis que a estrela que tinham visto no Oriente seguia à sua frente e parou sobre o lugar onde estava o Menino. Ao ver a estrela, sentiram grande alegria. Entraram na casa, viram o Menino com Maria, sua Mãe, e, prostrando-se diante d’Ele, adoraram-n’O.”José aparece aqui completamente ofuscado pelo mistério da Encarnação. Parece que o Evangelista apenas se preocupa em revelar a grandeza do Menino e de Sua Mãe. Nada mais importa ali naquele lugar. José teve e tem um lugar primordial na vida de Cristo e em toda a história da salvação mas, curiosamente, nos momentos mais fortes – tão poucos – em que José está presente não existe grande preocupação a não ser revelar que o grande Mistério da Salvação nos vem de Jesus por Maria.Aquela pequena terra, Belém, que ao que parece nem era lá muito bem vista aos olhos do tempo, cumpre assim a promessa de Deus como no-lo revela Mateus: “Tu, Belém, terra de Judá, não és de modo nenhum a menor entre as principais cidades de Judá, pois de ti sairá um chefe, que será o Pastor de Israel, meu povo”.
Ao acolher o Messias Belém torna-se a cidade que abre as portas à realização da Salvação divina. Assim, transforma-se na terra do medo de Herodes, medo deste novo Rei e do Seu Povo. Herodes teme e o seu temor leva-o à mentira, à fúria e à morte dos Santos Inocentes recentemente celebrados por todos nós. Aos seus pares, se assim lhes podemos chamar, Herodes manda-os até Belém no intuito de saber onde está tal Rei nascido porque, diz ele, também lhe quer prestar homenagem, também ele o quer ir adorar. A sua mentira não é esquecida por Deus.
Os Magos seguem a estrela e chegam ao lugar onde está Maria e o Menino e, diz Mateus: “abrindo os seus tesouros, ofereceram-Lhe presentes: ouro, incenso e mirra”.Já vimos que o ouro é o símbolo da realeza, o incenso da divindade e a mirra é símbolo da humanidade sofredora.

Uns Magos, uns Reis, pessoas importantes de outros povos e nações, prostram-se diante de um bebé acabado de nascer para O adorar. Só por si este gesto é já significativo do reconhecimento de que Ele é a realização da promessa Salvífica de Deus. Reconhecem a Sua Realeza, Cristo é o Rei de todos os Povos, de todo o Universo; reconhecem a Sua Divindade, Cristo é Deus, faz parte do grande mistério que Deus é, mas reconhecem também a sua humanidade e, no dizer de alguns biblistas, a mirra representa todo o sofrimento que o levaria à Cruz.Estes magos representam a humanidade inteira, não é só o Povo Hebreu que recebe ou reconhece a Salvação mas a humanidade inteira.Paulo em Ef 3,2-3a.5-6, lembra-nos esta realidade da sua e nossa fé: “Certamente já ouvistes falar (…) foi-me dado a conhecer o mistério de Cristo. (…) Revelado pelo Espírito Santo (…) os gentios recebem a mesma herança que os judeus, pertencem ao mesmo corpo e participam da mesma promessa, em Cristo Jesus, por meio do Evangelho.”Aqui vemos a Universalidade da salvação. Cristo vem resgatar todos os povos de todos os tempos. E o mais bonito de todo este mistério do Natal é que a Revelação começa pelos mais pobres e simples, os pastores que guardam os rebanhos, são os Anjos que os convidam a dar glória a Deus e depois os gentios, os Magos, os Reis dos outros povos.
Todos recebem, em símbolos diversos: Palavra de Deus, Anjos, Luz, Estrela, a grande alegria de que “O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e nós vimos a Sua glória de Unigénito do Pai, cheio de graça e verdade”.
E Maria ali está, silenciosa face ao que todos contam acerca do Seu Menino. É a Mãe do silêncio, do acolhimento, da entrega, da Revelação.Voltando ao Evangelho Mateus termina dizendo que: “E, avisados em sonhos para não voltarem à presença de Herodes, regressaram à sua terra por outro caminho”.
Os caminhos de Deus manifestam-se a cada momento do nosso dia-a-dia.
Neste dia somos chamados a participar desta Epifania, manifestação da Glória de Deus, através dos nossos gestos e do testemunho da nossa fé. Foi a fé que levou os Magos até Belém. Eu costumo dizer que aquela estrela de que falam os Evangelhos não é mais que a luz da fé que salva e aponta o caminho a seguir. Não foram anjos mas o crer, o acreditar nessa Luz, que levou estes, a que a tradição dá o nome de Baltazar, Gaspar e Belchior, ao lugar onde um Menino e Sua Mãe recebem o louvor, a prostração e a adoração. Adorar o Menino Deus é certamente tecer um gesto de adoração Àquela que abre as portas do Reino de Deus outrora fechadas pelo pecado de Eva. Assim o cantamos nós na antífona: “Por Eva foi fechada aos homens a porta do céu, e a todos foi de novo aberta por Maria”.
Como Igreja em comunhão, não esquecendo os nossos irmãos Ortodoxos que hoje celebram o seu Natal, saibamos deixar-nos guiar pela Luz que é Cristo e na alegria exclamada por Isaías, na fé proclamada por Paulo e na beleza do mistério revelado em Mateus, cantemos com a Igreja inteira:

“Gloria in excelsis Deo”…

24 dezembro 2016

Noite de procura e de LUZ

HOJE COMO HÁ TRÊS ANOS...
Depois de um dia muito cansativo, venho ao blog para serenar. Estes dias tenho dedicado o meu tempo ao Natal exterior, é tempo do Natal interior.
Levo o meu pensamento ao natal da minha infância... o efeito de neve a cair no blog lembra-me as noites dessa infância lá na aldeia com a neve a cair.
O POEMA que se segue, perdoem os bons poetas a pobreza, é a minha oração da noite. Imagino, nesta noite e dia, Maria e José à procura do lugar do Nascimento.
Este poema brotou há alguns anos depois de um dia como o de hoje, de cansaço mas também da muita alegria por ter tido a dedicação de alguns Amigos na realização das ornamentações e presépios desta casa.
É para eles neste momento a dedicação do poema / oração desta noite.
OBRIGADO...

NOITE DE PROCURA E DE LUZ

Passo a passo vão pelo horizonte além
No cansaço de um longo caminhar,
Dirigem-se à cidade de Jerusalém
José e Maria, a fim de se recensear.

Um burrinho cansado, Maria transporta
Alheio ao milagre que em noite irá ver,
Levará Maria e José de porta em porta
E um Menino no ventre que está p’ra nascer.

E eis que é chegada a hora da Esperança
Em que a Virgem trará a Salvação.
Mas ninguém tem lugar na vizinhança
Para acolher em sua casa um Irmão.

E a noite sobre a terra vai caindo,
Frio, escuridão e neve caem também.
E o burrinho, bem cansado, vai seguindo
Levando Maria e José até Belém.

E o Menino que no ventre, é o Senhor
Não podia esperar mais p’ra nos salvar.
É num estábulo, não havia lugar melhor,
Que Maria, a Deus Menino, à luz vem dar.

Quanta alegria o burrinho e os animais
Ali pasmados diante da grande Luz.
Um bebé ali nasceu chorando em ais,
E seus pais já lhe chamavam Jesus.

Ó que noite de Luz, noite Santa,
Em que Deus connosco habitou.
A Criação inteira exulta e canta
Em adoração a quem tudo criou.

Noite da procura é agora noite da Vida
Porque Deus, o Emanuel, até nós vem,
E a humanidade que se encontrava perdida
Vê-se salva num estábulo, em Belém.

Neste dia que antecede o meu Natal
Quero fazer da minha Vida uma oração.
Oferecer ao Menino Deus, presente tal,
Que consiga esgotar meu coração.

Brilha Luz Divina sobre mim
Sobre todos os que tenho no pensamento.
Que a tua bênção desça a nós, sem fim,
Que neste Natal sejamos o teu acolhimento.

Noite de procura dum lugar p’ra dar à Luz
É a noite de todo homem e mulher também.
Que cada um possa esquecer a sua cruz
P’ra celebrar a alegria, na noite de Belém.

Frei Albertino S. Rodrigues O.F.M.

22 dezembro 2016

Francisco e as "resistências malévolas"


Papa diz que a reforma da Cúria vai continuar, apesar das "resistências malévolas"
22 dez, 2016 - 12:13 • Aura Miguel , Matilde Torres Pereira

"Na Igreja, devemos ter medo das manchas e não das rugas”, disse Francisco numa mensagem aos cardeais que trabalham na Santa Sé.

O Papa Francisco aproveitou esta quinta-feira as tradicionais saudações aos cardeais que trabalham na Santa Sé nesta época natalícia para abordar a reforma da Cúria e os vários tipos de resistências que têm vindo a surgir no seio da própria Igreja.
“Caros irmãos, na Igreja, devemos ter medo das manchas e não das rugas”, declarou Francisco, perante os seus conselheiros. Mais importante do que disfarçar as rugas e sinais de velhice, é preciso renovar por dentro e purificar, defendeu.
Referindo as “resistências” com as quais se tem deparado, o Papa distinguiu as várias formas de fazer oposição: “Resistências abertas, que nascem da boa vontade e do diálogo sincero; resistências escondidas, que nascem de corações medrosos e empedernidos, alimentados pelas palavras vazias do ‘leopardismo’ espiritual que, diz querer mudar por palavras, mas deseja que fique tudo na mesma”, elencou.
Tecendo assim duras críticas, o Papa falou ainda nas “resistências malévolas que crescem nas mentes distorcidas e apresentam-se quando o demónio inspira intenções más – às vezes com pele de cordeiro.”
“Este último tipo de resistência esconde-se atrás de palavras justificadoras e, tantas vezes, acusadoras, refugiando-se na tradição, nas aparências, nas formalidades, no que é conhecido, ou então, em querer tornar tudo numa questão pessoal, sem distinguir o acto, o actor e a acção”, afirmou.
“A reforma não tem um fim estético, para tornar a Cúria mais bela; nem pode ser entendida como uma espécie de ‘lifting’, de maquilhagem ou pintura para embelezar o velho corpo da Cúria”, rematou. “Nem sequer é uma operação de cirurgia plástica para tirar as rugas.”
A reforma da Cúria Romana é um grande objectivo do Papa Francisco. Desde o início da sua eleição que Francisco explica que esta reforma deve ser profunda e agilizar a Cúria, mas o corpo da Igreja é pesado e a mudança não é fácil.
No seu longo discurso, o Papa enuncia um conjunto de condições e critérios que devem guiar a reforma da Cúria vaticana. Entre outras coisas, diz que, para não enferrujarem nem caírem na rotina do funcionalismo, é essencial a formação permanente - e considera um cancro a prática comum de “promover para afastar”, utilizando a expressão em latim: “Promoveatur ut amoveatur”.
No final, e à margem do discurso, Francisco recordou que no encontro de 2014 enunciou as 15 doenças da Cúria e em 2015 propôs os remédios para essas doenças. Agora, diz que se inspirou no livro do padre jesuíta Claudio Acquaviva, de 1635, com o título “Expedientes para curar as doenças da alma”. Francisco ofereceu esta quinta-feira, a cada um dos cardeais, uma edição actualizada deste livro.

17 dezembro 2016

Papa Francisco: 80 anos

PARABÉNS SANTO PADRE
 
QUE DEUS O ABENÇOE PELOS 80 ANOS DE VIDA QUE HOJE CELEBRA.
 
REZAMOS POR SI!

O Papa Francisco completa 80 anos neste sábado 17 de dezembro.

Às 8 horas locais, Francisco presidiu à celebração eucarística, na Capela Paulina, no Vaticano, na qual concelebraram numerosos Cardeais residentes em Roma.

Quem deseja dar os Parabéns ao Papa Francisco, em português, pelos seus 80 anos, pode enviar um e-mail aos seguintes endereços:

PapaFrancisco80@vatican.va (Espanhol/Português) PapaFranciscus80@vatican.va (Latim)
PapaFrancesco80@vatican.va (Italiano)
PopeFrancis80@vatican.va (Inglês)
PapeFrancois80@vatican.va (Francês)
PapstFranziskus80@vatican.va (Alemão)
PapiezFranciszek80@vatican.va (Polonês)

Nas redes sociais, a hashtag criada para a ocasião é #Pontifex80

Parabéns do Parlamento inglês

Uma moção foi assinada, nesta segunda-feira (12/12), pelos deputados do Parlamento inglês que felicitaram, de modo oficial, o Papa Francisco, em nome do povo britânico, pelos seus 80 anos.

“Esta Câmara se congratula com Sua Santidade pelo seu 80º aniversário. Reconhece a sua liderança espiritual para mais de 1 bilhão e 200 milhões de católicos em todo o mundo. Louva a sua contribuição, em primeiro plano, no enfrentamento das mudanças climáticas, a promoção do desenvolvimento sustentável, o acolhimento dos refugiados, a construção da paz, o encorajamento da reforma carcerária, a protecção da liberdade religiosa e a abolição global da pena de morte.”

No documento, o Parlamento deseja ao Papa Francisco “tudo de bom a fim de que possa continuar o seu pontificado”.

O deputado Rob Flello que promoveu a iniciativa, agradeceu ao Papa “pela liderança clara e misericordiosa da Igreja. Que Deus encha o seu coração de alegria divina”. (BS/MJ)


 















http://pt.radiovaticana.va/news/2016/12/16/mande_mensagem_de_parab%C3%A9ns_ao_papa_francisco_pelos_80_anos/1279654

14 dezembro 2016

O sonho de Maria de Nazaré

«Eu tive um sonho, José.
          Não o entendi muito bem, mas parece que era a respeito da celebração dos anos do nosso filho. Eu penso que era a respeito disso.
          As pessoas andavam há seis semanas a preparar esta festa. Tinham decorado e iluminado a casa e comprado presentes muito bonitos. Mas era curioso notar, que esses presentes, não eram para o nosso filho.
          Embrulharam esses presentes em papel muito bonito, amarraram-nos com fitas de várias cores e colocaram-nos debaixo de uma árvore. Sim, uma árvore, José, dentro da própria casa.
          A árvore também estava enfeitada. Os ramos estavam cheios de bolinhas luminosas e decorações brilhantes. Havia uma figura no ponto mais alto da árvore. Parecia a figura de um anjo. Oh! Era tão bonito!
          Toda a gente se ria e se mostrava feliz. Todos entusiasmados com os presentes.
          Deram os presentes uns aos outros, José. Não os deram ao nosso filho que fazia anos. Deu-me tanta impressão, que as pessoas nem sequer o conheciam, pois nem mencionavam o nome dele.
          Não é estranho, que as pessoas tenham tanto trabalho para celebrar os anos de uma pessoa que nem sequer conhecem?
          Tive mesmo a sensação que se o nosso filho aparecesse nesta festa seria um intruso e de certeza não seria bem recebido.
          Tudo estava tão bonito, José, é toda a gente estava tão contente, mas... deu-me tanta vontade de chorar.
          Que tristeza para o nosso filho Jesus, não ser desejado, nem sequer na festa dos seus anos.
          Sinto-me contente por ter sido apenas um sonho.
          Que terrível, José, se isto tivesse sido verdade!»

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2009 | RETALHOS 2 | Por Templates para Você