Retalhos Bem-vindo! Retalhos Willkommen! Retalhos Bienvenido! Retalhos Bienvenue! Retalhos Benvenuti! Retalhos Welcome! Retalhos 歡迎! Retalhos Καλως ηλθατε! Retalhos Добро пожаловать! Retalhos!مرحبا Retalhos

PORTUGAL: BEM VINDO SANTO PADRE!

VÍDEOS: Para visualizar e ouvir os vídeos deverá dasativar a música de fundo no painel aqui do lado esquerdo

22 março 2009

Jerusalém: Caminho para Deus

Amigos, paz e bem!
As leituras de hoje colocam-nos a caminho, mais perto, de Jerusalém. Esta cidade com uma carga histórica inquestionável para a História da Salvação e hoje cidade da Fé para as três grandes Religiões monoteístas.
É aqui o centro da vida e da Fé em Deus, o Deus da Aliança, Deus de Abraão e Moisés, Deus de Jesus Cristo e Deus de Maomé.
É a Cidade Santa, "materialização" da Cidade de Deus, do Seu Povo eleito, a Nova Jerusalém.
Deixo uma frase de cada uma das leituras que hoje escutámos na nossa liturgia Católica e no final a beleza deste Salmo que tantas vezes se reflecte no nosso dia-a-dia: Como cantar um cântico do/ao Senhor se nos sentimos afastados d’Ele, como em terra estranha, como manifestar a alegria de sermos Povo de Deus se tantas vezes nos esquecemos d’Ele e do Seu infinito amor por nós, como não silenciar, colando a língua ao céu da boca, porque não temos sentimentos de Cristo, não vivemos a Fé em Cristo que não veio para condenar mas para salvar o mundo?
Jerusalém a cidade da paz onde a paz urge cada vez mais, onde o amor e o ódio habitam lado a lado matando e escravizando em Nome de Deus.
Partindo destas leituras, que vos sugere JERUSALÉM?
Que diríeis àqueles que vos questionassem sobre a fé que é a vossa enraizada na história de Jerusalém?
Aguardamos desta vez a partilha ao jeito de reflexão, poema, oração, informação, etc….

LEITURA I – 2 Cr 36,14-16.19-23
«Assim fala Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do Céu, deu-me todos os reinos da terra e Ele próprio me confiou o encargo de Lhe construir um templo em Jerusalém, na terra de Judá. Quem de entre vós fizer parte do seu povo ponha-se a caminho
e que Deus esteja com ele».

Salmo 136 (137)

Se eu me não lembrar de ti, Jerusalém, fique presa a minha língua.

Sobre os rios de Babilónia nos sentámos a chorar,
com saudades de Sião.
Nos salgueiros das suas margens,
dependurámos nossas harpas.

Aqueles que nos levaram cativos
queriam ouvir os nossos cânticos
e os nossos opressores uma canção de alegria:
«Cantai-nos um cântico de Sião».

Como poderíamos nós cantar um cântico do Senhor
em terra estrangeira?
Se eu me esquecer de ti, Jerusalém,
esquecida fique a minha mão direita.

Apegue-se-me a língua ao paladar,
se não me lembrar de ti,
se não fizer de Jerusalém
a maior das minhas alegrias.

LEITURA II – Ef 2,4-10
“De facto, é pela graça que fostes salvos, por meio da fé.
A salvação não vem de vós: é dom de Deus.
Não se deve às obras: ninguém se pode gloriar.
Na verdade, nós somos obra sua, criados em Cristo Jesus”.

EVANGELHO: Jo 3,14-21
“Deus não enviou o Filho ao mundo para condenar o mundo, mas para que o mundo seja salvo por Ele. Quem acredita n’Ele não é condenado, mas quem não acredita já está condenado, porque não acreditou em nome do Filho Unigénito de Deus”.

7 comentários:

Kalita disse...

Frei, imagem belissima esta de Jerusalém.
Sempre quando temos conversas sobre viagem dos sonhos, digo que a minha viagem dos sonhos é ir pra Jerusálem, o que provoca espanto em alguns.Muitos dizem: não há lá praias bonitas...
nem estações de esqui...
Digo que tenho vontade de conhecer a terra de meu Deus...a terra onde Jesus Nasceu , os campos onde Ele correu quando menino...conhecer o rio onde foi batizado, os caminhos por onde passou quando anunciava o Reino,onde aconteceram os primeiros milagres...
Creio que todo cristão autentico sinta saudades de Jerusalém...Eu pelo menos sinto.Porque pertencemos a Jerusálém, estamos espalhados pelo mundo mas nosso coração está lá.
O salmo cantado na missa ontem me tocou profundamente, esquecer Jerusalém é esquecer de sí mesmo, esquecer de onde viemos e para onde vamos.

Sirlene disse...

Frei Albertino e amigos do Retalhos
Tenho 70 anos e preciso fazer uma confissão, bastante envergonhada:conheço pouco da Bíblia.Talvez a minha geração como eu, tem um conhecimento diferente , é bem verdade que foi depois do Concílio Vaticano II que a Bíblia passou a ser do povo.E eu já era adulta à época.Tínhamos História Sagrada, Catecismo, História Eclesiástica , em aulas diárias, durante os 4 anos de Ginásio e os 3 do Colegial...era informação que não acabava mais...sem contar a Missa diária, obviamente com as leituras do Antigo e do Novo Testamento.Era assim que a Bíblia nos chegava:filtrada!
Ontem o salmo responsorial me assustou com esse negócio de prender a lingua no céu da boca, se eu me esquecer de Jerusalém!Fiquei pensando...preciso ler mais a Bíblia!Ler mesmo!Conheço um frade que foi dispensado do breviário para ler somente a Bíblia, e ele dizia que ficava espantado com seu conteúdo variado subsidio para um leque de conhecimentos, inclusive para etiqueta social.
Isto para dizer que assuntos da minha própria Igreja,a que eu deveria saber ,pelo avançado dos "anos de janela"...são novidade e trazem o frescor do interesse aguçado para o saber mais!Mas que temo a cola no céu da boca, ah!isto é vero!

Maresia disse...

Como Kalita também eu digo:
Bela é a imagem que esta bendita “janela” nos mostra.
Convosco reflito, procurando responder a esta frase que me/nos é colocada:
“Que diríeis àqueles que vos questionassem sobre a fé que é a vossa enraizada na história de Jerusalém?”
Jerusalém, terra de guerra, Cidade Santa, casa da Paz...
Tantas designações e tanta contradição. Quando era criança, a minha mãe dizia, num tom grave: “...e não se contentaram em pedir a maldição só para eles, foi também para as futuras gerações...”, ”...que o Sangue desse Justo caia sobre nós e sobre os nossos filhos.” Mt, 27,24-25.
Um dia na escola fizemos uma experiência, colocando dois tubérculos na água, em idênticas circunstâncias; um produziu uma bela planta cheia de raízes e folhas; o outro sem raízes, em vão esperamos ver surgir as folhas. Numa primeira conclusão, as crianças deram-se conta de que sem raízes, não havia planta.
Voltando à pergunta inicial, eu diria que:
Jerusalém é a nossa fonte, a cidade por Deus escolhida para Ele habitar no meio do Seu Povo. É lá que estão as nossas “Raízes” e sem raízes não há vida nova.
Então, como “olhar” para Jerusalém?
Busco a resposta na música de Frei Mário Silva:
“Jerusalém casa da Paz,
um dia as portas tu me abriste...
de par em par maternalmente e eu entrei p’ra Renascer... “
e levar aos outros a Esperança e a Alegria de sermos salvos por Jesus Cristo.
A caminho da Jerusalém Celeste...”não nos atrasemos no caminho por excesso de bagagem.”
Peço desculpa, pela minha ignorância, mas estou aqui para aprender.
maresia

xana disse...

Amigo! Gostei também muito da imagem de Jerusalém que a sua “bela janela” nos mostra.
Quanto à questão que nos coloca, “que diríeis aqueles que vos questionassem sobre a fé que é a vossa enraizada na história de Jerusalém?” É mais complicado... sou demasiado pobre…para…mas mesmo assim diria:
Jerusalém, local de Guerra,
Cidade Santa, de Bem e de toda a Paz, ao mesmo tempo que é de guerra…
Terra de Esperança, e de segurança.
Terra de toda a verdade e plenitude…Fonte Santa…
Nela se admiram os nossos corações e nela se sustentam as nossas raízes, sem as quais não pode haver Vida… Vida Nova…

«Jerusalém, Jerusalém, que matas os profetas e apedrejas os que te são enviados! Quantas vezes Eu quis reunir os teus filhos como a galinha reúne os seus pintainhos sob as asas e tu não quiseste!»

ANSEIO

Senhor!
Senhor de todo o bem
E de toda a Paz…!
De toda a tranquilidade
E de toda a esperança…!
Senhor de toda a serenidade
E de toda a segurança…!
Senhor de toda a verdade
E de tudo o que é plenitude…!

Que só em Ti se admire o meu coração!
Que só em Ti sustente todas as minha raízes!
Que só em Ti me abandone,
Como as árvores se abandonam ao espaço em que as sustentas…

Senhor!
Que só em Ti confie!
Que só a Ti dê graças com todo o coração
Com toda a inteligência
E toda a beleza manifesta…!

Que só a Ti Senhor, todos os homens e mulheres agradeçam as fontes,
E os pássaros.
Os montes,
E tudo o que respira e vive
Novos alentos de Felicidade…
Que só a Ti te consagrem os filhos,
As mães que hoje o são no Teu mistério.

Que só para Ti
Se inclinem os rochedos,
Como Tu te inclinaste para os homens,
E para os tempos.
Senhor! E que só pelo Teu louvor,
Se atrevam a rasgar os céus,
Todos os cumes silenciosos!

E que a Ti só,
Ó Único Senhor,
Se submetem todos os vencedores,
Como fidelíssimos guerreiros:
Astros de luz e poder em Tua mão!
E que só a Ti se entreguem todos os vencidos,
Como Saulo se entregou…cego!

Mas,
Ó grande Senhor de toda a Paz,
Ó Senhor de todo o Bem:

Que só em Ti, busquem as forças,
todos os fracos;
que só em Ti busquem a Luz,
todos os cegos;
que só em Ti busquem a Fé,
todos os traídos;
que só em Ti busquem a Paz,
todos os angustiados;
que só em Ti busquem socorro,
todos os aflitos;
que só em Ti busquem alivio e descanso,
todos os cansados;
que só em Ti busquem Amor,
todos os não amados…

E, acima de tudo,
que só em Ti creiam,
e a Ti só se entreguem,
e só em Ti confiem
e só em ti esperem
todos os últimos murmúrios dos corações
dos homens,
Tua criação…

Que Tu sejas Senhor,
Ó Inexplicável Absoluto, Cristo,
O primeiro e último recurso!
Sim,
Ó Grande Senhor, que tudo contém
No Belo e Insondável, frutuoso Amor:

Que em Ti creiam!
Que em Ti creiamos!!!
Como o coração do Menino de Belém
Acreditou abandonado,
No Amor de Sua Mãe!!!
Aumenta Senhor a nossa Fé.Sabemos que a Tua graça pode tudo e com a Tua ajuda poderemos aproximar-nos cada vez mais de Ti...

lena disse...

Tema excelente para reflexão!
Jerusalém, por onde Jesus passou e onde ficou perpetuado o sacrifício da Vida, onde a Presença do Amor Puro falou mais alto, é palco de violência!
Então, tanto ódio, porquê? Tanta guerra, porquê? Tanta incompreensão e intolerância, porquê? Justamente ali... É estranho, não é? Nao parece fazer sentido!
Tem de haver uma razão forte e evidente, ainda que pareça estar escondida... Tem de haver uma mensagem qualquer!
Tanto sofrimento num espaço tão sagrado tem de ter uma outra interpretação e outra função que não a lei da vingança sanguinária! Seria demasiado básico!

Acredito que Deus nos mostra, através deste Local Santo e pleno de contradições, a força da natureza humana! e nos interpela... chamando-nos ao Amor e ao Serviço (invisível).

Confrontam-se culturas diversas, que tudo têm para se entenderem e complementarem, concentradas no mesmo espaço, fechadas em si mesmas, contradizendo-se nas suas leis do Amor, da Fraternidade, da Tolerância!?!!!
O facto de extravazar as fronteiras da região, parece funcionar, em simultâneo, como um espelho a nível global e particular! Cada pessoa e cada sociedade, verá apenas uma parte da situação, à sua maneira e de acordo com as suas caracterísitcas e capacidades!

Assim, também dentro de cada um de nós há (e haverá...)contradições, conflitos! Ao introspectar-me, vejo-me como um local contraditório! Um local que busca a paz, mas sempre em mutação... São muitas as contradições entre o que penso, o que sinto e o que faço e, embora numa dimensão mais pequenina, mantenho-me em guerra permanente... buscando desesperadamente a paz! Gostaria de dizer que sou perfeita... mas... quão longe estou ainda! Quantas torres de vigia preciso para me manter alerta?!!!
O paradoxo de Jerusalém leva-me a, metaforicamente, olhar para mim, para o meu interior, e reconhecer que até no meu corpo eu posso descobrir harmonia e desarmonia... zonas saudáveis e luminosas e zonas mais sombrias que precisam de atenção e compreensão... tal como em Jerusalém!
Por vezes, sinto-me como um puzzle com peças em busca de ordem... fazendo parte de um puzzle ainda maior!
Tudo me parece global! Todos nos interpenetramos... e é assim, pelo Amor, que nos unimos em Fraternidade e Tolerância para que (dando a vola à Terra) este movimento se concentre na Paz, em Jerusalém.
É o meu sonho!

Anónimo disse...

Jerusalém!
Cidade Santa. Cidade de Deus. Cidade de Jesus Cristo. Cidade da Salvação. Cidade da Ressurreição. Cidade da nossa Fé.

Embora nunca se tivesse proporcionado fazer uma peregrinação à Terra Santa e estar também fisicamente em Jerusalém, "estou" lá todos os anos especialmente na Semana Santa. Mais ainda desde que vi o filme "A Paixão de Cristo".
É a cidade onde se realizou o ponto mais alto da nossa Salvação, por isso não posso celebrar a Páscoa todos os anos sem "estar" naqueles lugares em Jerusalém por onde Jesus passou, onde Ele sofreu por mim, onde Ele morreu por mim.

Há algum tempo, alguém muito especial ofereceu-me um Terço vindo da Terra Santa. É não apenas com devoção que o rezo. Tocando nele, deixando passar as contas por entre as minhas mãos, "toco" naqueles lugares onde Jesus viveu e morreu, lugares sagrados pela Sua presença e pelo Seu amor...

Fazendo eco - como a "Maresia" - do cântico do Frei Mário Silva, digo: "Jerusalém... vai dentro de mim..."

Mª Teresa disse...

Irmã Lena,
Paz e Bem!
Em 2009 realizei uma Peregrinação à Terra Santa! Será certamente uma viagem inesquecível!
Alcancei imensa paz...
Partilhei e cresci interiormente...
Certo, surgem altas suspeitas: é uma zona do Mundo em constante ebulição... mas stop! quando nos encontramos Lá, (melhor quando ME encontrei Lá) não me/nos assalta/ou QUALQUER temor a espírito/s... Vida ganha outra dimensão! Isso posso garantir!
Desprendemo-nos de nosso mundo e, todos nós comungamos o espiríto da Sagrada Família.

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2009 | RETALHOS 2 | Por Templates para Você