Retalhos Bem-vindo! Retalhos Willkommen! Retalhos Bienvenido! Retalhos Bienvenue! Retalhos Benvenuti! Retalhos Welcome! Retalhos 歡迎! Retalhos Καλως ηλθατε! Retalhos Добро пожаловать! Retalhos!مرحبا Retalhos

Senhor! Fazei-me instrumento da vossa paz!

VÍDEOS: Para visualizar e ouvir os vídeos deverá dasativar a música de fundo no painel aqui do lado esquerdo

25 julho 2009

Dia dos Avós



Olá querida Família Retalhos!
Sou a avó Joaquina e os netos empurraram-me para eu mexer nestas modernices dos computadores e como é bom aprender até morrer, aqui estou eu.
Estou a tentar falar-vos de um dia muito bonito, o Dia dos Avós.
Porquê este dia?
Se eu me enganar, o Frei faça o favor de corrigir, é assim que os netos me fazem.
É celebrado neste dia 26 de Julho, porque é o dia de S. Joaquim e Sta. Ana, Pais de Nossa Senhora e, claro, Avós do Menino Jesus.
Num jornal antigo - nós os velhotes gostamos muito de guardar coisas - só consigo perceber, (Jornal da educação, página 3), tem uma notícia com este nome: “ Os avós serão um peso morto? ”, para logo em seguida o mesmo jornal dizer: “ Os avós reencontrados: uma cumplicidade acima das gerações”.
Eu penso que os avós não são um peso morto. Alguns infantários até fazem coisas em conjunto com os avós e que tem dado bons frutos. Uma vez até vi na televisão uma jovem toda contente porque, dizia ela, tinha adoptado uma avó que estava num Lar e nunca ninguém a ia visitar; por isso passou ela a faze-lo, o que se tornou numa alegria para as duas.
E fico-me por aqui, mais não digo senão ides achar-me chata. Para terminar, deixo-vos estas palavras que a minha neta trouxe da escola:
“ DEFINIÇÃO DE AVÓ
Artigo redigido por uma menina de 8 anos e publicado no Jornal do Cartaxo. Está uma ternura.
Uma avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas, nem as lagartas. Nunca dizem “despacha-te”. Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morrerem mais vezes do que nós. Toda a gente deve fazer o possível por ter uma avó. “
Vou aproveitar as férias dos netos, para ir aprendendo a mexer nestas coisas, (mas só com eles ao pé de mim), por isso vou continuar a falar deste assunto aqui, se o sr. Padre Albertino mo permitir, porque acho que é muito importante.
Avó Joaquina
Obrigado avó pela partilha.
Hoje é sem dúvida o dia em que a Igreja recordaria, liturgicamente, os pais de Nossa Senhora que se tornaram o símbolo do amor e ternura que os avós devem ser e ter.
Este anos, e porque coincide com o Domingo, Dia do Senhor, e porque nenhuma festa se sobrepõe às festas do Senhor, como é o Domingo - dia da Ressurreição - não se celebra liturgicamente a festa de Santa Ana e S. Joaquim contudo, o dia dos avós aí está e é bom ter avós com quem brincar, rir, confiar sejam eles magros ou gordos, rabugentos ou mais compreensivos... estejam eles no meio de nós ou junto de Deus.
Que Deus, por Ana e Joaquim, abençoe todos os avós...

20 julho 2009

A Maria por Clara

Paz e bem amigos.
Começo por pedir desculpa pelas minhas ausências mas nos últimos tempos tenho estado com algum trabalho "a mais" e como quando inicio uma coisa tenho que a terminar, não tenho dedicado tanto ao Retalhos.
Estava aqui a ver uns textos, antes de descansar, e dei-me conta de que não publiquei em Maio esta reflexão belíssima que a Cristina se dignou partilhar comigo e também para vós.
À Cristina um pedido humilde de desculpa e, embora o mês de Maio já tenha passado, é sempre mês para reflectir sobre Maria e aqui no caso Maria e Clara.
Pode também este texto, e neste tempo, servir de mote para começar a preparar o Centenário da Ordem das Senhoras Pobres de Santa Clara.
Obrigado e em cada dia vos levo a todos à Oração...
O MÊS DE MAIO COM SANTA CLARA

Este ano tomei para mim como linha de orientação para o mês de Maio as palavras de Santa Clara na sua 3ª carta a Santa Inês de Praga:
“Vive unida à Mãe dulcíssima que deu à luz o Filho que nem os céus puderam conter. E, todavia, ela o levou no pequeno claustro do seu ventre sagrado e o formou no seu seio de donzela. (…) Tal como a Virgem das virgens O trouxe materialmente no seu seio, assim também tu O podes trazer, sem dúvida alguma, de maneira espiritual, no teu corpo casto e virginal, seguindo as suas pegadas, sobretudo a sua humildade e pobreza. Desta maneira poderás conter Aquele que a ti e a todas as criaturas contém”.

O mês de Maria não deverá ser apenas um tempo em que dedicamos especial devoção a Nossa Senhora como se faz habitualmente nas nossas comunidades rezando o Terço e/ou outras orações em louvor de Maria, Mãe de Deus e Mãe nossa. Viver unidos à Mãe, como nos sugere Santa Clara, é mais do que rezar. É chegar ao ponto de uma total identificação com Maria no ser e no agir, na relação com Deus e com os irmãos. É levar Cristo aos outros como fez Maria na visita à sua prima Isabel. É torná-lO presente no mundo e no tempo de hoje, prolongando a Eucaristia na nossa vida de cada dia. Como? Pelo amor com que fazemos todas as coisas, por mais pequenas e insignificantes que sejam. Pelo carinho, respeito e tolerância com que aceitamos cada pessoa que se cruza connosco no nosso caminho. Pela nossa palavra directa de evangelização e pela nossa solidariedade e ajuda concreta em relação a todos os que sofrem, dando assim credibilidade às nossas palavras. Levar Cristo no «pequeno claustro» do nosso coração não significa deixá-lO fechado aí dentro, por vezes até esquecido… Mas significa ser como o sacerdote que toca com as suas mãos consagradas o Corpo de Cristo e O eleva bem alto, depois da Consagração na Missa, para contemplação e adoração dos fiéis. Quer dizer, portanto, dar a conhecer Cristo, ser presença viva de Cristo, dar testemunho dos grandes feitos d’Ele nas nossas vidas, ser o rosto de Cristo para tantos que não O conhecem ou que até O negam…
Assim foi Maria. E assim ela fez. Sempre e em tudo esteve ao serviço de Deus e dos outros. E sempre abriu caminho para que Cristo pudesse estar no meio de nós: no seu sim na Anunciação, na sua palavra nas bodas de Caná, na sua fortaleza ao pé da Cruz, na sua oração no Cenáculo no meio dos Apóstolos. Maria está. Ela age em nosso favor. Ela conduz a Cristo. Porquê? Porque continha Aquele que a ela e a todas as criaturas contém, conforme escreve Santa Clara. Ou seja, ela estava totalmente virada para Deus, plena de Deus, sem a mínima sombra de algum desvio, sem o mínimo ruído interior e sem a mínima desafinação que pudessem estorvar a harmonia entre ela e Deus.

Tomemos para nós as palavras de Santa Clara a Santa Inês de Praga. Deixemo-nos desafiar para uma vida com Maria, para que assim Cristo e Maria estejam presentes em nós.

Cristina

11 julho 2009

Missa Nova: 10 anos

E porque em ANO SACERDOTAL quero partilhar mais um pedacinho do DOM DE DEUS realizado na minha pobreza humana.
Faz hoje dez anos que na minha Aldeia, nas faldas da serra da Gardunha, celebrei a minha Missa Nova. Aqui partilho um pedacinho dos momentos importantes da Liturgia Eucarística.
Tudo o resto é indiscritível.
Fica a gratidão a todos os que tanto fizeram e fazem por mim.
No fim deste clip de vídeo partilho o texto que fiz e rezei há 10 anos no momento de Acção de Graças da Eucaristia... ali estão TODOS!


DOU-TE GRAÇAS, SENHOR:

Pelo
DOM DA VIDA. Pelos trinta e um anos de história, com tudo o que foi acontecendo, com quantos fazem parte desta mesma Vida.
Pelos meus PAIS e IRMÃOS que me aceitaram sempre como sou, me amaram, criaram, educaram e me fizeram crescer doando-me de novo a Ti…
Por todos os meus FAMILIARES que, de uma forma ou de outra, contribuíram para que eu seja quem sou.
Pelo DOM DO BAPTISMO, no qual me acolheste membro da Tua Igreja, e por ele me perdoas sempre.
Pela VOCAÇÃO FRANCISCANA, à qual totalmente me entrego. Pelos irmãos que me ajudaram a discernir a Tua vontade e a encontrar a resposta fiel. Por todos quantos, comigo, na Ordem dos Frades Menores, se lançam na entrega total e na procura da fidelidade.
Pela VOCAÇÃO SACERDOTAL à qual Te dignaste chamar-me. Por esta missão bonita de ser outro Cristo junto dos irmãos, levando o Teu Corpo e Sangue e ser instrumento do Teu Perdão junto deles.
Por todos aqueles que REZARAM COMIGO e por mim ao longo destes anos. Por aqueles que em mim CONFIARAM e me ajudaram a caminhar mesmo quando outros diziam não valer a pena…
Graças, Senhor, por todos os AMIGOS. Por aqueles que de uma forma especial marcaram a sua presença dizendo corajosamente “ESTOU CONTIGO”. Por quantos nos bons e maus momentos foram a mão amiga que me amparou na subida, a voz amiga que tornou mais suave a minha dor. Graças, Senhor, pelos AMIGOS ESPECIAIS que remam ainda hoje e conduzem o barco comigo, aqueles que aprendemos a amar como verdadeiros irmãos, aqueles que a cada momento se disponibilizam a caminhar lado a lado comigo em direcção a Ti.
COM TODOS ESTES E CONTIGO, QUERO SER FIEL ATÉ AO FIM…
“Magnificat, anima mea Dominum”

04 julho 2009

Sacerdote para sempre: 16 anos

Caríssimos Amigos, paz e bem. Não sou muito de manifestar coisas muito pessoais na net contudo, HOJE, dia 04 de Julho de 2015, faço 16 ANOS DE SACERDÓCIO.
Há 10 anos que Deus me concedeu a dignidade de poder ministrar a Palavra, a Consagração do Pão e do Vinho, de levar aos irmãos o Perdão.
Partilho, uma vez mais, convosco alguns minutos apenas dos momentos mais importantes da grande Celebração realizada há 10 anos no Mosteiro dos Jerónimos, em Lisboa, pelo Sua Eminência o Senhor Cardeal Patriarca de Lisboa.
Que o Povo de Deus tenha misericórdia por todas as vezes em que descurei o ministério que me foi confiado.
Hoje, na Eucaristia, ter-vos-ei presentes a todos sobretudo os meus pais, os confrades Ordenados comigo, FF. José Quintã e Paulo Coelho.
Tenho também presente neste dia o meu querido AMIGO e AFILHADO DIOGO que celebra o Dom da Vida.
Conheça os passos do Rito de Ordenação
O rito de Ordenação Presbiteral é realizado dentro da Liturgia Eucarística e compõe-se por uma sequência de ritos repletos de significado, que serão descritos a seguir:
Após a Proclamação do Evangelho, o diácono chama o candidato ao Ministério Presbiteral, que responde, em alta voz: “Aqui estou!” Em seguida, Ministro Provincial, pede ao bispo que ordene o seu confrade com a Ordem dos presbíteros. O bispo pergunta ao superior sobre a dignidade do candidato. Neste momento, apresentam-se as testemunhas, pessoas que conviveram com aquele que consideram digno de ser ordenado. Tendo sido ouvidas as testemunhas, o bispo confirma a escolha do candidato para a Ordem do Presbiterato. A partir de então, ele é eleito para receber o sacramento da Ordem. Depois deste momento, o bispo inicia o homilia, na qual actualiza a Palavra de Deus e explica o sentido do acto que está sendo celebrado.
Logo após a homilia, o bispo interroga o eleito, sobre seu desejo em aceitar o encargo de presbítero. Ele responde sobre a disposição para apascentar o Povo de Deus, celebrar os sacramentos e cultivar uma vida de oração. Por fim, de joelhos e com mão postas entre as mãos do bispo, promete obediência, a seu legítimo superior e ao bispo diocesano.
Prostrado, em sinal de despojamento e humildade, o eleito e toda a assembléia celebrante cantam a Ladainha de Todos os Santos, pedindo o auxilio e a intercessão daqueles que nos precederam na fé, para que Deus derrame com largueza a sua graça e sua benção sobre aquele que foi escolhido para o cargo de presbítero.
Em silêncio, primeiramente o bispo, e depois todos os sacerdotes concelebrantes, impõem as mãos, um por um, sobre a cabeça do eleito, que está de joelhos.O bispo dirige-se a Deus Pai, com as mãos estendidas sobre o eleito, rezando uma oração. Nesta prece, ele menciona a Acção do Espírito Santo ao suscitar, entre as comunidades, os ministros de Cristo. A oração descreve os sinais prefigurativos deste sacerdócio que apareceram já no Antigo Testamento e cita os mistérios da vida de Jesus Cristo, o Filho de Deus. E pede a Deus que constitua ao eleito o segundo grau do sacramento da Ordem que é o presbiterato (é momento da ordenação), e a graça da fidelidade e unidade ao Cristo.O Ordenado (neo- sacerdote) é revestido dos paramentos próprios do presbítero: estola e casula, sendo auxiliado por dois presbíteros.
Unção com o óleoO bispo unge as mãos do Ordenado com o óleo do crisma e diz o seguinte:Nosso Senhor Jesus Cristo, a quem o Pai ungiu com o Espírito Santo e revestiu de poder, te guarde para a santificação do povo fiel e para oferecer a Deus o santo sacrifício”.O bispo entrega ao neo-sacerdote o cálice (com vinho e água) e a patena (com o pão), a “oferenda do povo santo”, e convida a ele que conforme a própria vida ao mistério da cruz do Senhor. No meu caso foram os meus pais que trouxeram ao Bispo estes dons.Com o abraço e a saudação do bispo ao neo-sacerdote, se conclui o Rito da Ordenação.
Neste momento, o recém Ordenado recebe a saudação dos concelebrantes, dos confrades e dos seus familiares mais próximos. Estes são, resumidamente, os passos do Rito de Ordenação. Logo após, segue-se a liturgia Eucarística, já concelebrada pelo neo-sacerdote, com a apresentação das oferendas.

Texto: Frei Gustavo Wayand Medella, OFM
Revisão: Frei Albertino Rodrigues, OFM

01 julho 2009

Ser Sacerdote

Caríssimos Amigos.
Por questões de saúde não tenho tido capacidade para dar ao Retalhos a dedicaão que sempre me mereceu.
Felizmente da minha parte a saúde está quase restabelecida.
Hoje quero pedir a vossa oração pelos meus pais bastante debilitados na saúde e ...
Por vezes ser Padre não nos dá o tempo que precisamos para estar ali ao lado e acompanhar como os pais merecem e... os meus bem merecem... Que Deus e a Mãe ajuda.

Partilho este texto enviado pela "Xana" e que se insere na reflexão do ANO SACERDOTAL.
Obrigado Xana por ter partilhado e também pela oração que faz por mim.
Obrigado também pelo tempo que me dedica, pela ajuda em discernimentos, pela amizade...

SER SACERDOTE

Esta oração de S. João Maria Vianney (Oração da postagem anterior) é uma oração linda, profunda, de alguém que desempenhou e viveu o Ministério Sacerdotal segundo o Coração de Cristo, onde todos os sacerdotes e também nós, encontramos força, consolo e descanso. (Paz e Bem), porque ELE é o Sumo Bem…Só no Coração de Cristo, que nos ama com todo o Amor Divino e humano, encontramos o modelo da vida sacerdotal.Este ano sacerdotal, convida-nos a pensar no Coração de Jesus Cristo como modelo de coração sacerdotal, como convite ao Amor, como apelo a todos os sacerdotes a contemplarem o Coração trespassado e aprenderem com Ele a Amar e a viver…
Sacerdotes com Cristo, pelo poder do sacramento da Ordem que recebem, os sacerdotes só encontram a solução de suas vidas, a fonte de sua santidade, o interlocutor da sua amizade e vida interior, o Amigo íntimo e o tesouro de suas vidas, no mistério do Coração de Jesus. Aprender com ELE, como Jesus nos disse, é escola de santidade sacerdotal em pobreza, desprendimento, humildade, castidade, obediência, zelo apostólico, paixão por Deus e pelos homens. Só n’Ele a esperança. Só n’Ele a Fonte da Vida e da Graça. Só no Coração de Cristo, que nos ama com todo o Amor Divino e humano, encontramos o modelo de vida sacerdotal. Daí que é preciso moldar a Vida Sacerdotal com o seu Coração.
O grande teólogo Karl Rahner afirmou, numa conferência feita a sacerdotes onde disse muitas coisas e entre elas que passo a citar: «Pelo Teu Coração, Senhor, a graça faça de mim um homem de coração trespassado, pois é somente com este preço que eu serei Teu sacerdote».
Acreditar com toda a alma e coração, com Fé viva e determinação interior no Pai…
Que Ele abençoe todos os sacerdotes, todos os seus trabalhos apostólicos e o anúncio do Reino. Que nunca lhes falte a Fé e a Esperança…
Quando a vida traz dificuldades, só o “AMOR” consegue trazer Esperança e Força…
No sacerdote, o Amor a Jesus é este fundamento, porque o Amor de Deus é o primeiro a ser fiel. E é a experiência desta Fidelidade e entrega a Deus que motiva e sustenta a entrega e a Fidelidade do sacerdote.
Esta experiência alimenta-se na oração e na meditação, onde a vida se reza, onde cresce a familiaridade e a intimidade com o Senhor e onde pouco a pouco, o ser do sacerdote se vai configurando ao ser de Cristo.
Além da oração o sacerdote deve viver aquilo que celebra, sobretudo a EUCARISTIA e o sacramento da reconciliação. A Eucaristia é o sinal específico da missão sacerdotal, e, por isso, é muito importante que a Eucaristia seja o momento central da sua vida, o acontecimento central da presença de Deus e a confirmação da sua entrega…
Também no sacramento da reconciliação o sacerdote aprende a perdoar porque é perdoado, a ser misericordioso porque Deus é misericordioso. A confissão ajuda a que o sacerdote assuma a própria fragilidade e a consiga entregar a Deus…
Penso que a dimensão espiritual e pessoal do sacerdote é a que confere a verdade da sua missão e ministério…
Rezemos este ano de modo muito especial por todos os sacerdotes e por todo o trabalho que realizam na missão que o Senhor lhe confia em cada dia.
Rezo neste momento rezo de um modo muito especial por si, Frei, pelo DOM que é e continua a ser para mim e para tantas pessoas que se vão cruzando consigo no dia a dia da vida, e para todas as que visitam esta maravilha, este Dom, partilha, este cantinho “blog”.
Consigo louvo o Senhor com todo o coraçãoPelos dons que o Seu Amor nos dá, em cada dia
Graças por o chamar à vida, ao sacerdócio.
Graças pelos pais e família,Graças por todos os seus amigos,Graças pela alegria do convívio e da partilha.
Graças pelas suas vitórias e fracassos
Graças pelas suas qualidades e limitações
Graças pela mensagem que anuncia
Graças pela presença de Cristo no seu caminho
Graças por toda a sua história de vida
Que em Cristo será consumada.
Graças por tudo o que não sei agradecer ao Pai…
Graças pela certeza do Seu Amor para consigo, comigo e com todos.

XANA

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2009 | RETALHOS 2 | Por Templates para Você