Retalhos Bem-vindo! Retalhos Willkommen! Retalhos Bienvenido! Retalhos Bienvenue! Retalhos Benvenuti! Retalhos Welcome! Retalhos 歡迎! Retalhos Καλως ηλθατε! Retalhos Добро пожаловать! Retalhos!مرحبا Retalhos

Senhor! Fazei-me instrumento da vossa paz!

VÍDEOS: Para visualizar e ouvir os vídeos deverá dasativar a música de fundo no painel aqui do lado esquerdo

13 outubro 2009

Peregrinar: o caminho da Fé


O Mês de Outubro, como tantos outros meses em tantos paises, é para Portugal - a par com o mês de Maio - um tempo de peregrinações. São aos milhares aqueles crentes que caminham passo a passo rumo a Fátima ou outro Santuário.
Caminhar para louvar, agradecer, pedir ou simplesmente caminhar... Terço na mão e a vontade de chegar na mente e coração.
Neste Mês, e ao celebrarmos a última aparição de Nossa Senhora em Fátima, "Miguel" enviou-nos uma partilha pessoal mas que me parece ser de deixar a todos vós.
Que nos permita a todos reaprender o sentido do que é peregrinar a sério.
Obrigado Miguel


FAZER UMA PEREGRINAÇÃO…

- não é apenas uma questão de organização e logística.
- não é apenas ir para um determinado santuário.
- não é apenas cumprir com determinados preceitos e rituais.
- não é apenas dar vez e voz à dimensão religiosa da nossa existência.
- não é apenas verter lágrimas de emoção.
- não deve ser viver uns momentos cheios de entusiasmo e depois voltar tudo «ao normal» de sempre.

Poderia talvez continuar esta lista do que NÃO É ou NÃO DEVERIA SER uma peregrinação, pelo menos não exclusivamente.
Claro que é necessário organizar as coisas e tratar da logística; é necessário ir a um santuário e também cumprir com os rituais que fazem parte da nossa religião, dando mais atenção ao religioso na nossa vida…
Mas uma peregrinação não se restringe só a isto. Antes de mais, é fazer um caminho interior, espiritual. Não importa o meio de transporte exterior – se vou de avião, de navio, de comboio, de autocarro, de bicicleta ou a pé ou até de joelhos –, se não houver caminho por dentro, todos os quilómetros e todos os sacrifícios, por mais que sejam, não valem nada e não me aproximam de Deus.
Importa fazer caminho interior que me faça chegar mais perto de Deus e de mim mesmo. Aqui lembro as reflexões da Quaresma deste ano no “Retalhos”, pois para tal é forçoso largar o «excesso de bagagem», é despojar-se do supérfluo e de tudo o que dificulte a nossa caminhada ou que nos afaste de Deus. É levar só o absolutamente necessário para a peregrinação, e no mais entregar-se a Deus e confiar nELE.
Depois é abrir a mente e o coração ao agir de Deus.
É dispor-se a que Ele me trabalhe por dentro. Não querer ser eu a dizer a Deus o que Ele deve fazer e como deve conduzir a minha vida. Estar aberto às surpresas do Espírito. Viver em pleno cada momento da peregrinação. SABOREAR – dizem os Padres espirituais – como se fosse o melhor docinho do mundo. Deixar-me invadir pela PAZ e o AMOR que só Deus pode dar.
Peregrinar é também abrir-me ao que está ao meu lado.
Tomar consciência de que não sou um peregrino isolado, sozinho, mas que há outros peregrinos como eu, em busca de Deus e de sentido para a vida. É olhá-los, abrir-me a eles, ajudá-los no que puder, nem que seja só através de um olhar cúmplice de quem está na mesma estrada e tem o mesmo objectivo.
Por fim, é fazer como os Reis Magos: “regressaram ao seu país por outro caminho” (Mt 2, 12). Pode-se até tomar o mesmo caminho e o mesmo meio de transporte pelo qual se veio. No entanto, depois de uma experiência profunda de Deus, ninguém volta a ser o mesmo. Há um brilho diferente no olhar, há uma maneira diferente de encarar o quotidiano da vida – pelo menos nos primeiros tempos...
Permanece o desafio de não deixar empanar ou obscurecer ou até apagar a luz que Deus acendeu cá dentro num momento sagrado. Há que mantê-la acesa, com o brilho e a intensidade da primeira hora. Há que pôr sempre de novo lenha para que o fogo não se apague.

Tive, há dias, a oportunidade de fazer uma peregrinação muito especial a Fátima, na qual verifiquei e experiencei tudo o que descrevi acima. Como foi bom, à chegada, sentir os sacrifícios da preparação e do caminho altamente recompensados pelo olhar terno e acolhedor da Mãe! Como foi bom perceber que Deus, através de Maria, queria tocar no meu coração e acender a tal «luz nova»! Como foi bom fazer esta experiência em conjunto com outros, irmãos na Fé, companheiros de caminho! Como foi bom… Poderia continuar esta ladainha num sem-fim de louvor e acção de graças.

Que a peregrinação de um ou mais dias, que talvez neste mês de Outubro tenhamos feito, se prolongue pela vida fora e nos leve a bom porto – ao coração de Deus!

Miguel

6 comentários:

Sirlene disse...

Frei Albertino, Miguel, Família Retalhos:
Comunidade de destino é isso:um grupo de pessoas que se une com o olhar, o coração e a vida voltados para o mesmo fim, o mesmo objetivo, caminhando na mesma trilha
mesmo que venha de origens diversas. Peregrinando mirando o Porto Seguro.
A sua peregrinação, Miguel, continua sim...é dinâmica...atravessou o oceano e vem me ajudar a entender que mesmo já sem a mesma facilidade e disposição para deambular, posso fazer minha peregrinação, sem sair sequer dos meus aposentos, bastando eu me " abrir a mente e o coração ao agir de Deus. "
Que a muitos chegue seu testemunho, porque quem o conduz, com certeza é a Mãe de Fátima, que de Portugal lança seu olhar a todos nós!
Sirlene

lena disse...

Este texto transmite a PAZ
que uma Peregrinação nos traz,
pois...

Peregrinar é parar
para viajarmos interiormente...
Peregrinar é caminhar
para nos abrirmos a toda a gente...
Peregrinar é voar
para unirmos o coração e a mente...
E assim... subirmos aos Céus
deixando-nos guiar por Deus!
na Sua PAZ e no Seu Amor, eternamente!

quina disse...

FREI

Que belo ensinamento sobre a PEREGRINAÇÃO
Peregrinar com FÈ é preparar o coração e basta as sandálias o cajado e pouco mais.

A bagagem fica para trás.
Sentir que não vamos sós á outros pereginos e mesmo que o caminho seja difícil, é uma experiência de VIDA.

Experiência que será compensada pelo AMOR MATERNAL DE MARIA que acolhe todos os SEUS FILHOS vindos de qualquer canto do mundo.

O ESPÍRÍTO do PEREGRINO, pode ser só caminhar com FÉ e reencontrar-se com MARIA, mas tambem muitas vezes agradecer ou pedir GRAÇAS.

Voltar por outro caminho que será certamente o mesmo.SIM o caminho é o mesmo mas o PEREGRINO vem diferente, depois do seu enconto com o SENHOR e SUA MÂE MARIA SANTÌSSÌMA a SENHORA do ROSÀRIO.

Ajuda-nos MÂE a peregrinar neste mundo sempre sobre a tua PROTECÇÂO.

COM a tua BENÇÂO MÂE QUERIDA

QUINA

mariana disse...

OBRIGADA Frei pela partilha e Obrigada ao Miguel pela reflexão sobre o "peregrinar" do nosso dia a dia.

A caminhada de Maria até ás montanhas da Judeia para ajudar a sua prima Isabel faz-nos pensar numa outra caminhada que Ela fez e todos somos chamados a fazer com Ela: a caminhada na Fé.
Encontrando Nossa Senhora no peregrinar nos caminhos da vida, talvez rumo a qualquer santuário mariano, o homem moderno descobre que Deus é Amor, um amor que se comunica nem sempre com a toda a clareza, ou por caminhos fáceis, ou menos fáceis, como aconteceu com Maria.
A realização total de cada um de nós, depende de uma entrega total a Deus, de um peregrinar no claro-escuro mas sempre com a certeza daquele cântico que diz: Segura na mão de Deus e vai...

Que a MÃE nos ajude a fazer este caminho interior com a sua protecção maternal.

maresia disse...

Amigo Miguel, companheiro de peregrinação, parabéns pela reflexão que partilhou connosco.
Partilho eu agora consigo, algo que faço todos os dias...peregrinar.
Os médicos estão sempre a dizer que é muito importante para a saúde fazer exercício físico.
Todos os dias faço a minha caminhada, por várias razões:
- se estou triste, vou caminhar
- se estou contente, vou caminhar
- se me sinto obesa, vou caminhar
- se me sinto magra, vou caminhar
- se ...
E os motivos para caminhar, seriam ainda muitos mais. Mas quando quero estar a sós com Deus, é caminhando que me sinto mais perto dELE, pois me lembra que a Vida é uma peregrinação contínua ao Seu encontro.
É o que melhor me faz sentir...caminhando...
Obrigada, continuemos então peregrinando.

Mª Teresa disse...

Irmão Miguel,
Paz e Bem!
Sabe o que senti ao ler sua partilha? Senti que escorria ideias e emoções com a mesma transparência do jeito que você o fazia!
Simplesmente minhas ideias sempre se atrapalham... começo falando um troço, logo tropeço e... acabo falando outro! Bem haja! Lhe atribuo MUITAS MUITAS felicitações!

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2009 | RETALHOS 2 | Por Templates para Você