Retalhos Bem-vindo! Retalhos Willkommen! Retalhos Bienvenido! Retalhos Bienvenue! Retalhos Benvenuti! Retalhos Welcome! Retalhos 歡迎! Retalhos Καλως ηλθατε! Retalhos Добро пожаловать! Retalhos!مرحبا Retalhos

Senhor! Fazei-me instrumento da vossa paz!

VÍDEOS: Para visualizar e ouvir os vídeos deverá dasativar a música de fundo no painel aqui do lado esquerdo

28 fevereiro 2010

Três tendas... É bom estar aqui!

Levando consigo Pedro, João e Tiago, Jesus subiu ao monte para orar. Enquanto orava, o aspecto do seu rosto modificou-se, e as suas vestes tornaram-se de uma brancura fulgurante. E dois homens conversavam com Ele: Moisés e Elias, os quais, aparecendo rodeados de glória, falavam da sua morte, que ia acontecer em Jerusalém. Pedro e os companheiros estavam a cair de sono; mas, despertando, viram a glória de Jesus e os dois homens que estavam com Ele. Quando eles iam separar-se de Jesus, Pedro disse-lhe: «Mestre, é bom estarmos aqui. Façamos três tendas: uma para ti, uma para Moisés e outra para Elias.» Não sabia o que estava a dizer. Enquanto dizia isto, surgiu uma nuvem que os cobriu e, quando entraram na nuvem, ficaram atemorizados. E da nuvem veio uma voz que disse: «Este é o meu Filho predilecto. Escutai-o.» Quando a voz se fez ouvir, Jesus ficou só. Os discípulos guardaram silêncio e, naqueles dias, nada contaram a ninguém do que tinham visto.”
(Lc 9, 28-36)

O texto que se segue foi por mim escrito no Retalhos 1 no em Março de 2007.
Creio que tal como naquele ano pode ser hoje reflexão para este Domingo em que Cristo nos convida a subir ao Monte Tabor e admirar a Glória do Pai que Ele manifesta ao transfigurar-se diante de Pedro, Tiago e João.
Depois de lerdes o texto, e se assim achardes por bem, convido-vos a visitar o texto em http://betus-pax.blogspot.com/2007/03/trs-tendas-caminho.html e ver também as partilhas e comentários que vós, e outros amigos, ali deixastes.
Que este dia seja verdadeiramente um dia em que todos possamos dizer: "Que bom, Senhor! Que bom é estarmos aqui... conTigo"!

O monte é o lugar do encontro com Deus.
As Escrituras apresentam sempre uma subida ao monte onde, lá na Glória, Deus se revela.
Cristo, que mais tarde nos ensina a encontrar o Pai no recôndito do coração, acaba sempre, antes de tomar decisões importantes, por subir ao monte e ficar a sós com o Pai.
Assim foi antes de escolher os seus, na Transfiguração, na hora do Getsemani e, corolário deste encontro de Amor, no monte do Gólgota: o Calvário.
O caminho que Cristo faz não é solitário. Toma consigo três dos seus: Pedro, João e Tiago. Não importa agora o porquê destes, simplesmente importa sentir que Ele não caminha só, leva sempre os amigos, o caminho de Cristo implica caminho de comunhão, tal como no caminho de Emaús.
E lá, no alto do monte, manifesta-se a Glória de Deus; Cristo é já um Homem Glorificado: a luz das suas vestes e a mudança maravilhosa do Seu semblante no-lo revelam, Cristo é Ele mesmo a Glória do Pai.
Moisés e Elias representam algo que fica na história das consecutivas Alianças de Deus com o Povo, através da Lei e da palavra dos Profetas. Mas estes não são a definitiva Aliança, essa é Jesus Cristo, o Filho amado que devemos escutar. Ele é a Palavra última do Pai que, por Ele e n’Ele, se manifesta em Glória. Cristo é a certeza de que o caminho da Lei e dos Profetas jamais morrerá e que, a Sua morte, é a continuação do caminho da vitória, da Luz, da Gloria.
E os três discípulos ali estão, com medo e ao mesmo tempo maravilhados.
“Façamos aqui três tendas…”. Pedro pede mas não para si nem para os outros dois. A maravilha e o espanto é tão grande que parecem esquecer-se deles mesmos.
Três tendas para que Cristo não deixe de ser Glória do Pai junto dos Crentes, os “filhos de Abraão” (Gn 15, 5-12), aqueles por quem Paulo chora por se haverem esquecido de Deus e olharem apenas para o seu próprio umbigo, aqueles a quem exorta a serem seus imitadores como ele o é de Cristo (Fil 3, 17-20).
Três tendas porque é bom estar com Cristo: “É tão bom estarmos aqui…”.
Pergunto a mim mesmo se Cristo quer que lhe construmamos uma tenda, tal como fazemos nos acampamentos de escuteiros ou em tempo de férias, para nos abrigarmos do frio ou da chuva, do calor do dia ou da escuridão da noite.
Subir ao monte sem tendas é o melhor caminho a fazer. O encontro com o Pai deve ser momento de desprendimento total, sem tendas, sem espectativas, mesmo que cansados da caminhada, com os pés doridos, o estômago vazio e os olhos pelejados de sono.
Subamos ao encontro do Pai. Ele já nos espera e a Sua tenda é o Seu coração. Não somos nós que devemos fazer uma tenda para Cristo, outra para Moisés e outra para Elias. Estar ali, diante da maravilha que é sentir o amor infinito de Deus, é já sentir-se dentro da tenda que é o coração deste Pai que nos acolhe em Sua casa.
Que estas três tendas, neste tempo da quaresma, possam ser cada passo que damos para encontrar Deus na maravilha do rosto de cada irmão.
Que nos sintamos deslumbrados diante da Luz de Cristo, na oração, na partilha e na comunhão com os outros.
Assim diremos como Pedro: “como é bom estarmos aqui…” e acrescentaremos simplesmente como em Emaús: "Fica connosco, pois a noite vai caindo e o dia já está no ocaso." (Lc 24, 29b)
E Cristo certamente montará a Sua tenda na nossa vida…

25 fevereiro 2010

Pedi! Procurai! Batei! (Mt 7, 7-12)

Sento-me ao computador, depois de terminar a Eucaristia onde sempre levo todos os que Deus me confiou… aqueles que Ele colocou na minha Vida e eu na Vida deles… O louvor pelo facto puro e simples de saber que não estou só, tenho família, amigos, conhecidos… peregrinos como eu neste mundo.
Louvor por todos e ao mesmo tempo prece pela saúde, bênção e a paz de cada um, começando pelos da minha família até ao simples ser anónimo que reza por mim.
Os últimos tempos não têm sido nada fáceis, como com todos também tenho altos e baixos, momentos de alegria e outros de tristeza mas sobretudo de dúvidas sobre o que é melhor ou não, sobre que opinião mais acertada defender ou mais fundo ainda qual a atitude mais acertada para o bem daqueles que o pai me concedeu, parafraseando o próprio Cristo.
Estes últimos tempos, por motivos vários, têm sido de incertezas, de receios, de algum desgaste que só se atenua porque na verdade Deus na Sua misericórdia nos deu AMIGOS que ajudam a discernir e que nos dizem “ESTOU…”.
Não tomeis estas minhas palavras como alguma coisa de “dramático” não o tem, diante de tantos que sofrem e perdem os seus bens mais queridos e pertences, e a quem presto a minha homenagem sincera e por quem rezo, como tem acontecido no mais profundo sentir para com os nossos conterrâneos da Madeira.
Quantas vezes ajoelhamos diante do Sacrário, ou mesmo de alguma Imagem, fazendo preces ao Sagrado, pedindo que Deus se digne escutar a nossa prece sentida e sincera, que Ele nos abra a porta certa para podermos sentir que é por ali que Ele quer que vamos… quantas vezes deixamos esta prece e com a sensação de que, afinal, Deus não nos escutou, Deus não nos abre a porta.
Hoje o Evangelho (Mateus 7,7-12), por mim proclamado há minutos, iniciava assim: “Pedi, e ser-vos-á dado; procurai, e encontrareis; batei, e hão-de abrir-vos”.
Logo neste início me apeteceu parar, não ler mais e saborear esta certeza de que as nossas dúvidas se desvanecem, os nossos medos se dissipam diante da certeza de que Mateus se faz eco, colocando tais palavras na boca de Jesus.
Mas continua a leitura e Cristo reforça mais ainda esta certeza de que, “pois, quem pede, recebe; e quem procura, encontra; e ao que bate, hão-de abrir”.
Diz-se por aí que “hoje em dia já ninguém dá nada a ninguém…” e nós vamos “embarcando” com este dito – talvez moderno incrementado na sociedade consumista e pouco afectiva dos nossos dias – sem olhar para tantos momentos em que Deus afinal ali está, sim, Ele ali está e nos escuta, nos faz encontrar com Ele, connosco e com os outros, nos abre a porta sem que nos dêmos conta de que isso acontece. E teimamos em duvidar, em esquecer d’ Ele, das Suas acções em favor dos Homens, em nosso favor.
Lembro de ter lido algures uma definição de milagre que nunca mais esqueci e que é mais ou menos isto: “milagre é um acto de amor em favor dos que precisam, realizado por Deus das mais diversas formas, mas onde Deus quer permanecer oculto”.
Voltemos ao início do Evangelho… quantos milagres Deus tem realizado em mim e por mim, em nós e por nós e… quantas vezes duvido, quantas vezes duvidamos.
“Homens e mulheres de pouca fé”
dir-nos-ia Jesus a nós como então aos Apóstolos.
O Evangelho continua a exercer sobre mim uma reflexão enorme porque vai buscar o valor do amor da família, ainda que tantas vezes humanamente as nossas acções sejam a de pessoas más mas que no meio do seu ser “mau” não pode dar coisas más aos que ama: “qual de vós, se o seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? Ora bem, se vós, sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está no Céu dará coisas boas àqueles que lhas pedirem.”
Esta tarde ouvi, via telefone, uma criança de nove anos pedir dinheiro à mãe para comprar uma guloseima e teve como resposta um simples “tu sabes que a mãe não tem dinheiro…” e a tristeza instalou-se na voz de tal criança. O querer e o ter que nem sempre depende das nossas capacidades humanas. E continuamos a pedir ao Pai e nem sempre entendemos, ou nem sempre entendo eu, porque parece Deus não olhar pelos que mais precisam, pelos que querem trabalhar com dignidade, pelas crianças e velhinhos que precisam receber toda a atenção e todo o carinho. E pedimos, batemos à porta de Deus, procuramos soluções para tantas necessidades. E Deus escuta, pode não responder logo mas… sem dúvida que a Eucaristia de hoje volta a recordar em mim a certeza de que, a seu tempo, Deus nos escuta. Pode não ser no nosso tempo ou no que nós gostaríamos mas si, indubitavelmente Ele escuta, encontra-nos e abre portas.
O final do Evangelho levou-me então a uma reflexão que nunca tinha feito. Nós pedimos a Deus… esperamos de Deus… mas será que Ele nem sempre nos ouve porque nós não somos capazes de ser sinal da Sua presença? Será que eu mesmo nem sempre sou capaz de viver o grande desafio que Cristo lança de imediato ao dizer que, “portanto, o que quiserdes que vos façam os homens, fazei-o também a eles, porque isto é a Lei e os Profetas”, será isto que falha à minha humanidade, à minha sociedade, à minha Eclesialidade?
Fazer aos outros o mesmo que queremos que nos façam… estará aqui a questão central das nossas incertezas, tristezas, dúvidas e tentações de duvidar de Deus?
Amanhã não sei… mas hoje sim, sei, sinto que devo um acto de gratidão a Deus porque na verdade Ele tem realizado milagres na minha vida, Ele tem escutado a minha prece e a de quantos a fazem comigo, Ele tem aberto portas para que eu me encontre e O encontre. Sim, sem dúvida, este Evangelho de Mateus hoje veio mesmo para mim. Minutos antes de ir para a Capela eu estava quase sem ânimo para ir à Eucaristia, quase não fazia sentido para mim ir – não se escandalizem porque aos sacerdotes também acontece como a todos vós – mas num repente fui, olhos meio cravados no chão até iniciar a proclamação da Palavra: “Pedi, e ser-vos-á dado; procurai, e encontrareis; batei, e hão-de abrir-vos”.
Obrigado Senhor meu Deus, obrigado por me teres dado hoje esta Palavra que alentou a vida frágil, que deu certeza da Tua presença em todos nos que me deste, em todos os que são a Tua presença miraculosa onde Tu permaneces oculto aos olhos humanos e pecadores. Só a Palavra, a Tua Palavra, continua a dar VIDA.
Senhor, neste final de dia que é agora de gratidão, eu Te peço com toda a humildade por todos os que muito amo, por todos os Amigos, por todos os peregrinos deste mundo como eu.
Dá-me, Senhor, em cada dia da minha existência, a capacidade de Te escutar para poder discernir o melhor caminho a seguir para o bem de todos os que me deste, para poder caminhar na Tua presença e ser sinal do Teu Amor.
Que o Senhor nos abençoe e nos guarde!

22 fevereiro 2010

10 perguntas a... Nuno

Olá meu amigos, paz e bem!
nas minhas andanças e descobertas por conhecer cada vez mais as tecnologias de informação, para pôr ao serviço da formação e da Pastoral, decidi criar uma série de entrevistas a alguns amigos.
Chamei-lhe "10 perguntas a..."
Inicio com uma entrevista ao Nuno, meu aluno do sexto ano e que faz parte da Família Retalhos com o seu blogue http://religionbookair.blogspot.com. Depois dele, e a seu tempo, outras entrevistas se seguirão.
Aqui fica a entrevista, depois das devidas autorizações dos pais para ser publicada.
Espero que gosteis e que, aqui ou no blogue do Nuno deixeis uma bonita mensagem.

SEGUE TEXTO DA ENTREVISTA

1. Nuno, Porque é que para ti é importante ter um blogue?
Gosto de tecnologia e é uma forma de expressar o que nós queremos transmitir a todos os internautas por todo o mundo.
2. Porquê este título Religionbookair?
Porque gosto de Inglês, uma língua cada vez mais universal e fascina-me a religião, pela minha formação e porque gosto de todos os assuntos que têm a ver com ela.
3. Este blogue é um livro aberto a todos para viver a amizade. O que significa isto para ti?
Significa que para mim, este blogue é uma forma de conviver e aumentar o grupo de amigos, mesmo que não seja fisicamente, mas através deste meio importante de comunicação, a internet.
4. Escolheste para imagem do teu blogue um boneco de neve. Porquê?
O boneco de neve, para mim, exprime o sentimento da amizade e alegria. Sendo frio e branco, na união de esforços e amizade ele pode ser um símbolo de unidade, tal como as quatro mãos entrelaçadas, símbolo da união dos amigos.
5. Já tens visitas de alguns países. Que gostarias de dizer aos que já aqui passaram e aos que hão-de vir?
Obrigado por virem. É muito importante para mim saber que estão aqui e partilham do que eu escrevo. Espero que este blogue tenha algum significado para vós e que continuem a visitar e a deixar aqui as vossas mensagens.
6. E na tua vida, quais são as coisas que te dão maior alegria, e porquê?
A minha família em primeiro lugar, porque são aqueles que estão sempre comigo e me ajudam em todos os momentos e nos mais difíceis, a ajuda torna-me mais feliz. Depois os amigos com quem partilho outros momentos importantes e felizes.
7. Sei que gostas muito de desporto. Qual é o teu desporto favorito e porque é que o é?
O meu desporto favorito é andebol porque é um jogo de equipa e como tal faz-se muitos amigos. Uma das regras importantes é o chamado “passes” onde temos que estar concentrados para não dar mais de três passos. Na amizade também temos que saber dar os passos certos para que o futuro seja de êxito e não de faltas ou fracassos. Por isso eu gosto muito de andebol.
8. Nuno, e na escola, o que é que tu mais gostas e o que é que achas menos bem? Porquê?
O que eu mais gosto na minha escola são os intervalos, claro que as aulas são muito importantes e ajudam-nos na nossa formação, mas nos intervalos sinto-me mais alegre porque me divirto com os amigos e cresço na relação humana.
Não há assim propriamente nada que eu não goste na minha escola. Tudo é importante e eu gosto da escola e de todas as pessoas que formam a Comunidade educativa.
9. O que desejas para o futuro, que sonhos ou objectivos tens para ti e para a tua realização?
Ainda estou a formar-me a todos os níveis, e ainda não sei o que será o futuro, mas quando penso nisso acho que gostava de ser andebolista profissional ou formar-me em engenharia civil para poder continuar a trabalhar em equipa ou ajudar a tornar o nosso mundo melhor e mais bonito.
10. Nuno, voltando ao blogue, uma última pergunta. Que mensagem gostarias de deixar a todos os teus familiares e amigos que visitam o teu blogue?
Mais uma vez obrigado por virem e pelo apoio que me dão, desejo que cada um de vós goste de participar deste meu sonho de comunicar através da internet e que sempre se sintam bem aqui. Este blogue é um espaço para todos, independentemente da idade, religião ou cor. É sobretudo um espaço para fazer crescer a amizade.

18 fevereiro 2010

Parabéns mãe... 80 anos de Vida.

“A duração da nossa vida poderá ser de setenta anos e, para os mais fortes, de oitenta;
mas a maior parte deles é trabalho e miséria, passam depressa e nós desaparecemos.”
(Sl 90, 10)
É assim que reza o Salmo 90.
PARABÉNS MÃE, HOJE FAZ A ROBUSTEZ DOS SEUS OITENTA ANOS.
Que dizer, que escrever?
Nenhuma palavra seria capaz de, nesta hora, descrever a HOMENAGEM que a mãe merece. Perdoem-me as mães mas… na verdade Deus não poderia ter-me concedido melhor mãe que a minha…
Hoje tenho a graça de poder estar com a minha mãe, há tantos anos isso não acontecia, ainda que o seu dia venha a ser cansativo.
Passou os setenta agarrada à VIDA como ninguém. Objctivos e família movem o seu coração frágil. Chegou aos oitenta, o tempo – no dizer da Palavra de Deus – em que se manifesta que a vida foi e é robusta, é dos mais fortes.
Prestando homenagem à minha mãe, Maria, quero ter presentes todos os AMIGOS que sempre têm apoiado no caminho, tantas vezes difícil e para mim desconhecido. Mesmo aqueles que estão presentes sempre pela sua oração. Que o Deus da Vida e a Mãe de todas as Graças vos abençoem!
OBRIGADO DEUS PELO DOM DA VIDA DA MINHA MÃE.
Concede-lhe, Senhor, a serenidade e paz para aceitar os desafios que a Vida ainda possam pedir-lhe e dá-me a força e o discernimento de tudo poder fazer, SEMPRE, para o bem dos meus pais.
OBRIGADO…

16 fevereiro 2010

Amigos de palmo e meio

Olá amigos, paz e bem.
Hoje quero fazer uma pequena homenagem aos "AMIGOS DE PALMO E MEIO", crianças do Centro Escolar de Ventosa que, de quando em vez, visitam o Retalhos e há dias deixaram uma mensagem.
Este fim-de-semana ganhei coragem para lhes responder e, sozinho, de maquineta na mão e horas sentado a fazer "corte e costura" no computador, resolvi fazer um filminho para eles.
Aqui está, dividido em duas partes, a minha primeira edição de vídeo dedicada a estes "amigos de palmo e meio".
Espero que eles gostem... e os crescidos também.
(desactivar a música do blog)
PARTE I
PARTE II

15 fevereiro 2010

CARNAVAL: Jogo (anti) políticos

"É CARNAVAL, NINGUÉM LEVA A MAL..."
Assim reza o dito popular, quase que a abrir caminho a que tudo seja permitido neste tempo. Claro que não é assim nem eu concordo com tal, sobretudo no que toca à dignidade de cada Homem.
Mas... sendo carnaval, recebi por e-mail este jogo e olhem, que me perdoem os políticos de Portugal mas, sim, estou farto deles e veio este jogo mesmo a propósito para eu me divertir.
Entrem no link abaixo, É SEGURO, e joguem, eu já cheguei aos 92 políticos mortos e muitos risos, o que deu até para quebrar o stress do dia, mas matei algumas vezes a Madre Teresa ( por causa disso hoje já tive uma enorme penitência de lavar muitas chávenas e pratos).
CUIDADO! Não matem a Madre Teresa porque ela aparece de surpresa e matá-la é perder pontos e tiros.
Divirtam-se e, não fui eu que criei o jogo, ele é público. Gostei! É carnaval...
DIVIRTAM-SE e que os políticos nos perdoem e que a Madre Teresa nos perdoe e que se ria connosco.

11 fevereiro 2010

Dar vida, semeando esperança


XVIII DIA MUNDIAL DO DOENTE
Dar vida, semeando esperança

O DIA MUNDIAL DO DOENTE

Desde 1993 que a Igreja propõe a todas as suas comunidades a celebração do Dia Mundial do Doente, por iniciativa de João Paulo II, poucos anos após a instituição da Comissão Pontifícia para o Apostolado dos Profissionais de Saúde. Este ano de 2010 é um ano especial, porque nele se comemora o 25º Aniversário da instituição da Pastoral da Saúde. Por isso mesmo, o tema da mensagem que o Papa Bento XVI enviou a toda a Igreja refere este efeméride e pede que a “Igreja esteja ao serviço do Amor pelos enfermos e por todos os que sofrem”. É esta vocação de serviço que é urgente celebrar no Dia Mundial do Doente deste ano de 2010, ano das Bodas de Prata do nosso Dicastério – o Conselho Pontifício para a Pastoral da Saúde.

A MENSAGEM DE BENTO XVI


O Papa na sua mensagem para o Dia Mundial do Doente tem em mente dois grandes documentos, a Salvifici Doloris, de 1984, com o belíssimo comentário da Parábola do Bom Samaritano, e a Encíclica Spe Salvi onde se refere que um dos lugares de aprendizagem da esperança é, precisamente, o sofrimento. O Papa não pode deixar de referir o facto de se celebrarem os 25 anos sobre a instituição do Conselho Pontifício, considerando este facto de singular importância para a pastoral, no quadro da nova evangelização, De facto, a Igreja tornou-se solidária com as grandes preocupações do homem contemporâneo que dá à saúde um lugar de extraordinário relevo nas suas preocupações.
Depois, Bento XVI fala do sofrimento humano e relaciona-o com a dimensão salvífica do sofrimento de Cristo com que o cristão pode identificar-se.
Apresenta-se também a grandeza da solicitude a ter para com os doentes e com todos os que sofrem, vendo nesta solicitude o complemento da atitude de estrema generosidade retratada nos gestos do Bom Samaritano.
O Papa refere ainda a originalidade do Apostolado da Misericórdia de Deus. Como Deus teve misericórdia para com o homem, também os cristãos vivem a misericórdia sobretudo para com os doentes e aqueles que mais sofrem.
A terminar, o Santo Padre refere ainda que os cristãos, na sua relação com os mais abandonados, se devem tornar autênticos “ministros dos enfermos”, sejam sacerdotes, profissionais ou voluntários. A invocação a Maria, Saúde dos Enfermos, fecha esta lindíssima mensagem do Papa, para o Dia Mundial do Doente.



ORAÇÃO A NOSSA SENHORA
SAÚDE DOS ENFERMOS


Ó Virgem Santa Maria, Saúde dos Enfermos
que acompanhaste Jesus ao longo da vida
desde o nascimento em Belém
à vida oculta em Nazaré
desde o começo da pregação do Reino em Cafarnaum
e ao cuidado com os mais pobres e que mais sofrem
nos caminhos da Galileia e da Judeia
até ao momento do grande sacrifício, no Calvário,
Ó Virgem Santa Maria, consoladora dos aflitos
que permaneceste junto à Cruz do teu Filho
participando intimamente nas suas dores
Ó Virgem Santa Maria, Mãe de Jesus
e mãe de todos os homens e mulheres
acolhe os nossos sofrimentos e une-os ao de Jesus
para que as sementes da esperança
espalhada no mundo pela fé e pelo amor
continuem a produzir frutos abundantes
na vida de todos os doentes.
Mãe de misericórdia, com a maior fé nos volvemos para ti, Senhora,
consegue-nos do teu Filho Jesus
que rapidamente possamos voltar,
plenamente restabelecidos, às nossas ocupações
para sermos úteis aos outros com o nosso trabalho.
Entretanto, fica ao pé de nós neste momento de sofrimento
e ajuda-nos a repetir, cada dia, contigo o nosso “sim”
sabendo que Deus sabe tirar do mal,
um bem sempre maior.
Virgem Imaculada, faz que a nossa oração no mundo da dor e da angústia
se transformem para nós e para os que mais amamos
na expressão mais bela da vida cristã
para que, na contemplação do Rosto de Cristo Ressuscitado,
encontremos a abundância da misericórdia de Deus
e a alegria de uma comunicação, cheia de amor, com os nossos irmãos
antevisão da alegria sem fim que todos teremos no Céu. Amem!


(Oração recolhida a partir de uma oração de João Paulo II no Jubileu 2000)

02 fevereiro 2010

Consagrados na Alegria

Hoje celebramos o dia da APRESENTAÇÃO DE JESUS NO TEMPLO.
É também o DIA DO CONSAGRADO.
Quero partilhar cinvosco este vídeo que encontrei e que mostra bem o que devemos ser NÓS OS CONSAGRADOS... Alegres na Vida e na Missão.
Aqui fica a entrevista de Jô Soares à Irmã Mary Ellen.
Escnadalizem-se os Religiosos e Religiosas instaladas e sem vida...
(Desactivar na coluna da esquerda a música do blog)

MUITO TEMOS NÓS, RELIGIOSOS QUE APRENDER SOBRE O SIGNIFICADO DE IR ÀS FONTES DOS NOSSOS CARISMAS....

AVISO LEGAL – Procurarei fazer, neste blog, uma utilização cautelosa de textos, imagens, sons e outros dados, respeitando os direitos autoriais dos mesmos. Sempre que a legislação exigir, ou reclamados os referidos direitos de autor, procurarei prontamente respeitá-los, corrigindo informação ou retirando os mesmos do blog

 
© 2009 | RETALHOS 2 | Por Templates para Você